Neste domingo, 16, de acordo com informações da Defesa Civil de Santa Catarina, o estado foi atingido por um "tsunami meteorológico". As ondas na praia em Araranguá foram fortíssimas. Às cinco horas da tarde, os ventos na região chegaram a quase 100 quilômetros por hora. Por conta das ondas gigantes, segundo um site local, pessoas foram resgatadas na região conhecida como Rincão. Na cidade de Criciúma, o vento acabou assolando casas da região. Árvores também foram derrubadas. Ainda não há informações sobre vítimas no local. 

A defesa Civil disse que o vento mais as ondas provocaram um tsunami na região. Não é a primeira vez que isso ocorre.

Publicidade
Publicidade

Em praias como a do Cassino, o fenômeno aconteceu duas vezes. No estado do Rio Grande do Sul existe o que é  chamado de linha de instabilidade com um forte deslocamento. De acordo com as autoridades, uma linha de baixíssima pressão ajudou a provocar o que está sendo mostrado em vídeos da internet. Um dos representantes falou que existe a possibilidade de fortes temporais ainda nesta noite. Muita chuva deve atingir o planalto. Também devem ser vistos muitos raios. Por isso, existe a indicação de que caso não haja necessidade, que as pessoas não saiam de casa. 

Ainda no Sul do Estado, a Polícia Rodoviária Federal informou que um caminhão tombou na ponte Anita Garibaldi, na BR-101, em Laguna, como mostra uma reportagem do site 'Clique RBS'. Nas redes sociais, os moradores da região também comentaram as alterações climáticas que foram vistas.

Publicidade

Muitos disseram que nunca viram nada parecido. Nesse vídeo abaixo, por exemplo, pessoas estavam chegando em uma das praias, quando foram surpreendidas por uma onda. O motorista parece com medo da água e tenta dar ré no veículo. No entanto, a força da água é bem maior.

Em outros vídeos, publicados por sites locais, dá para ver carro sendo arrastados pela Tsunami. "Meu Deus, acho que é o início dos fim dos tempos", disse um dos internautas. 

Veja abaixo um dos vídeos que mostra a força das ondas em Santa Catarina:

#Tempo #Crime