Todo mundo sabe que certos assuntos não se discutem, pois geram muita polêmica entre as pessoas. A fé e a #Religião são dois bons exemplos disso, e por incrível que pareça, ainda existem pessoas que acreditam em milagres se pagarem alguma quantia exigida por parte da pessoa que realiza a cura. Você pode estar se perguntando se um milagre não deveria ser cobrado e sim feito com amor e gratuitamente, correto? Mas não devemos nos esquecer que vivemos em um mundo extremamente capitalista e que o dinheiro fala mais alto, sempre.

Prova disso, foi um vídeo que está circulando na internet em que uma pastora de uma igreja evangélica cobra 100 reais dos seus fiéis para serem curados de seus males ou enfermidades.

Publicidade
Publicidade

A bispa Ingrid Duque está sentada em uma poltrona e afirma que para tocar em seus pés, a pessoa deve deixar a quantia de, no mínimo, 100 reais para ficar curada definitivamente. O vídeo mostra uma mulher tentando falar com ela e a pastora simplesmente diz que é para somente tocar os pés e se retirar. A aglomeração foi tanta que a pastora pede ajuda para se fazer duas filas. Após organizarem, os fiéis tocavam os pés dela, deixavam o dinheiro e saíam.

A pastora e seu marido são famosos na internet. Um outro vídeo que circulou tempos atrás mostra o pastor Agenor Duque ressuscitando uma pessoa e curando inúmeras outras de várias enfermidades, como impotência sexual, enxaqueca e diarreia.  A igreja que o casal administra conta com mais de 20 filiais e o patrimônio deles é de fazer inveja a muito empresário.

Publicidade

Além de vários imóveis, eles tem uma Ferrari e um jato particular. Ingrid tem uma loja que comercializa vários produtos de cunho cristão.

Muitos pastores de outras igrejas evangélicas espalhadas pelo país criticam a atitude do casal Duque. Para alguns conhecedores da bíblia, eles tem uma atitude totalmente contrária ao que a palavra de Deus prega. Mas o famoso casal divide opiniões e há pessoas que não acreditam em nada disso e outras que acham que o casal tem esse poder de cura.

 

#Crime #Casos de polícia