O que você sentiria se visse uma mãe ou avó idosa recebendo tapas na cabeça, de um homem que deveria cuidar dela?

Cenas semelhantes a esse cenário foram filmadas e vazadas para a internet. Circula nas redes sociais desde o fim de semana um vídeo em que uma senhora idosa, aparentemente interna de uma casa de repouso, recebe agressões do que parece ser o funcionário da instituição.

No vídeo é possível ver uma idosa com a aparência bastante frágil sentada no chão próximo a uma cama. No recinto há outras camas, o que dá a entender que trata-se de um asilo ou de um hospital psiquiátrico.

O suposto funcionário aparece brigando com a mulher.

Publicidade
Publicidade

Ele levanta a mão e ameaça lhe dar um tapa. Com medo a idosa tenta se proteger. Com dedo em riste ele parece dizer a ela que não saia mais da cama. E ordena que ela volte para lá, dizendo “anda, vira”.

O se virar, o que era ameaça de um safanão realmente se concretiza. A paciente recebe um tapa na parte lateral da cabeça e o vídeo, de apenas 11 segundo, chega ao fim.

Não é possível saber a localização da agressão e nem se os responsáveis foram punidos. Mas sabe-se que maus tratos e violência contra os mais velhos são comuns em várias partes do país, inclusive em residências.

No último dia 28 de agosto, um outro vídeo repercutiu na imprensa. Nele uma idosa sofre maus-tratos em uma casa localizada na cidade de Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo.

As cenas foram registradas por vizinhos, que depois denunciaram os familiares da idosa.

Publicidade

Parentes aparecem dando banho de mangueira na idosa, na área de serviço. Ela geme de frio e medo, e recebe tapas. Segundo os moradores, isso acontecia várias vezes na semana, mesmo em dias de vento e frio mais intenso. 

O caso foi parar na Delegacia da Mulher da cidade e a vítima foi levada para um abrigo.

Casos como esses, sejam eles praticados em asilos ou em ambientes familiares,  podem ser denunciados pelo Disque 100,  coordenado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. As denúncias podem ser feitas de forma anônima.

#Crime #Casos de polícia