Atingido por uma arma de choque, um estudante caiu no chão e sofreu por alguns momentos. Tudo foi filmado durante uma manifestação que discorda da reforma do ensino médio proposta por Michel Temer, que aconteceu na cidade de Campinas-SP, na manhã da última terça-feira (18).

Estudantes menores foram levados pela Polícia

Luiz Baggio, o secretário de segurança da cidade, comentou a ação dos GM. Ele frisou que os homens recebem treinamento para enfrentar este tipo de situação.

Segundo o profissional, a ação foi lamentável, porém necessária. Ele informou ainda que o servidor agiu de acordo com o seu treinamento, os danos, segundo Baggio, foram "mínimos".

Publicidade
Publicidade

Mesmo cercado e dominado, o aluno, que não oferecia qualquer resistência, foi atingido pelo guarda que - sem mais, nem menos - disparou a arma contra o abdômen do estudante, que caiu, sofrendo de dor. Como se não bastasse, o rapaz ficou com uma espingarda próxima a seu rosto até ser algemado e levado para uma viatura da GM.

Carleides Costa, que trabalha no conselho tutelar, afirmou que o caso ainda carece de investigação, para que fique claro se houve abuso por parte dos guardas ou do rapaz agredido. Vale lembrar que algumas pessoas passaram mal durante o protesto.

Os estudantes foram para delegacia serem ouvidos, e foram liberados logo depois, na tarde do mesmo. De acordo com a polícia, cinco menores de idade foram conduzidos, também um professor. As acusações são de depredação a uma viatura e agressão a um guarda. Os menores e o professor negaram as acusações.

Publicidade

Na quarta-feira (19), os menores foram ouvidos pelo Ministério Público e passaram por exames no Instituto Médico Legal.

O advogado afirma que, após o exame, processará os guardas que agrediram os estudantes de forma "aleatória e truculenta".

Vale lembrar que na última semana, a Polícia Militar levou vinte e cinco estudantes para a delegacia depois de um protesto, que aconteceu na mesma região.

Nesta ocasião, os alunos ficaram no ônibus da Polícia durante horas e foram mandados para casa por volta das 11h, sem prestarem qualquer depoimento. 

As escolas estão sendo ocupadas em protestos contra o Governo Michel Temer. #Brasil #Educação #Política