Um vídeo muito forte está circulando na internet e mostra a ação de supostas vítimas de um estuprador após ele ter tentado cometer um abuso. O caso teria acontecido na cidade de Girau do Ponciano, em Alagoas. O homem, identificado como Geraldo, tinha quarenta e seis anos. O corpo dele praticamente não podia ser identificado após tanta tortura. De acordo com um portal de notícias local, várias partes do corpo de Geraldo foram arrancadas. Uma delas seria o seu pênis. A cabeça e a orelha também foram arrancadas em um ataque de ódio. O suposto estuprador, que teve seu corpo encontrado com as mãos amarradas, estava com a cabeça inserida dentro da barriga. Mesmo em uma região onde a violência é bastante comum, os moradores ficam espantados com tudo o que aconteceu. A cena foi descrita como horripilante. 

"Nunca vimos algo deste tipo", disse uma das pessoas que viu o corpo do homem estirado.

Publicidade
Publicidade

A Rádio FM Arapiraca, que deu grande destaque ao caso, revelou que o homem foi retirado da própria casa onde morava. O crime foi efetuado na madrugada por outros moradores da região, ainda não identificados. Um vídeo mostra o momento em que pelo menos duas mulheres aparecem arrancando os pedaços do corpo do homem. É possível até ver o sangue da vítima espirrando. O vídeo foi recebido neste fim de semana, após o suspeito ser tratado como vítima. Segundo moradores da região, ele teria abusado de várias pessoas na localidade. Um policial também disse que o homem se pareceria com o assassino de seus filhos. 

Um enorme corte foi feito na barriga do homem. A carnificina fez com que a notícia ganhasse grande repercussão na internet. As mulheres riem e conversam enquanto decepam o homem, como se estivessem muito felizes em realizarem os atos.

Publicidade

O delegado da região ainda investiga o #Crime e ainda não confirmou nem mesmo se seria o homem do vídeo o mesmo morto na região. E para você, as mulheres devem ser presas, mesmo que seja comprovado o estupro?

Veja abaixo o vídeo que mostra as mulheres esquartejando o homem:

#Investigação Criminal