Um #Crime de #Espancamento foi registrado na segunda-feira (17), em Ouro Preto do Oeste (RO). Um garoto de 4 anos de idade, foi espancado com uma cinta logo após ter derrubado um estojo de maquiagem. De acordo com a PM, o espancamento teria ocorrido na segunda-feira, mas, só veio à tona na terça-feira (18), quando o garoto foi à escola. Os principais suspeitos são a mãe e o padastro do garoto. De acordo com a Polícia Civil, o casal confessou o espancamento em seu Boletim de Ocorrência.

Os dois estão presos. Segundo a Polícia Militar, a agressão aconteceu na segunda-feira à noite, logo após o menino ter derrubado um estojo de maquiagem de sua mãe.

Publicidade
Publicidade

Assim que ocorreu a queda do objeto, o padastro e a mãe começaram a espancar o garoto com uma cinta. O garoto ficou com várias marcas do espancamento pelo corpo, na terça-feira o menino foi para a escola normalmente. Enquanto o menino estava na sala de aula, a Polícia Militar recebeu uma denúncia de uma agressão sofrida pelo garoto e foi até a escola junto com o Conselho Tutelar.

Ao chegarem ao local informado, à equipe constatou no menino muitas marcas roxas nas costas, braços, pernas e nas nádegas. Ao chegarem à casa dele, os policiais encontraram o padastro e a mãe do garoto de 4 anos. O casal foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil. De acordo com a Polícia Civil, o casal confessou que espancou o menino em seus depoimentos, porque o menino tinha derrubado um estojo de maquiagem no chão.

Publicidade

O casal vai responder por lesão corporal de vulnerável.

Logo após seus depoimentos, o casal foi encaminhado para o Presídio de Ouro Preto do Oeste. Na quarta-feira [19], o padastro do menino foi espancado por quatro companheiros de cela. De acordo com a unidade prisional,  após saberem do ocorrido os próprios companheiros de selas começaram a agredir o suspeito. Segundo a direção do presídio, a mulher recebeu a visita de um advogado dentro do presídio.

Já seu esposo foi encaminhado para o Hospital Municipal onde se encontra internado. De acordo com o portal de notícias G1, não foi possível ter contato com o advogado dos suspeitos. Já o garoto de 4 anos está sobre a responsabilidade do Conselho Tutelar.

Veja o vídeo logo abaixo:

#Casos de polícia