Nada melhor que um feriado para dormir até mais tarde, sem se preocupar com trabalho ou estudo. Em novembro, contamos com dois dias assim. O primeiro é no dia 2, quando se celebra o Dia dos Fiéis Defuntos – ou Dia de Finados. Cerca de duas semanas depois, vem o 15 de novembro, mas você conhece esse feriado?

É a data em que se comemora a Proclamação da República do #Brasil, momento em que o país deixou de ser uma Monarquia e se tornou uma República. O importante momento histórico ocorreu após um levante político-militar em 1889, que destituiu o então Imperador do Brasil, Dom Pedro II; dando o comando do país ao marechal Deodoro da Fonseca, proclamado como o primeiro presidente da República e chefe do Governo Provisório.

Publicidade
Publicidade

Também foram proclamados na ocasião o marechal Floriano Peixoto como vice-presidente. Já Quintino Bocaiuva, Campos Sales, Demétrio Ribeiro, almirante Eduardo Wandenkolk, Benjamin Constant Botelho de Magalhães, Rui Barbosa e Aristides Lobo foram os primeiros ministros da nação. Vale destacar que todos eram membros respeitados da maçonaria brasileira.

O que causou a Proclamação da República?

Para entender os fatores que culminaram na destituição da monarquia brasileira é preciso voltar até meados de 1860, quando o país iniciou uma batalha contra o Uruguai e depois contra o Paraguai. Tudo começou quando o Brasil depôs o governo uruguaio do ditador Atanasio Aguirre.

Os paraguaios se opuseram a medida, e então teve inicio  a chamada Guerra do Paraguai, ou Guerra da Tríplice Aliança, considerado o maior conflito armado da América Latina.

Publicidade

O conflito perdurou por aproximadamente seis anos, e o Brasil amargou uma crise financeira que abalou os grandes produtores. Na década de 1870, o país ainda não mostrava sinais de recuperação, além disso, a Monarquia começava a se desentender com a Igreja Católica, que também era uma grande potência à época.

A família real foi perdendo cada vez mais apoio, já que Dom Pedro II não tinha filhos homens para assumir o trono e sua filha mais velha, Isabel, casou-se com um francês. Há quem diga que o ponto crucial para a instauração da República veio após a assinatura da Lei Áurea, em 1888, que aboliu a escravidão. Com isso, os monarcas perderam o prestígio e o apoio político dos grandes fazendeiros, que se sentiram lesados por terem que libertar seus escravos.

Pós-República: o que ocorreu com o Imperador do Brasil?

Dois dias após a Proclamação da República, em 17 de novembro de 1889, Dom Pedro II e toda Família Imperial Brasileira foram banidos para a Europa. Eles foram “sentenciados” a jamais voltarem ao Brasil.

Publicidade

Dois anos mais tarde, o monarca faleceu em Paris. Como Dom Pedro II recusou uma indenização do governo provisório, que ofereceu a ele 5 mil contos de réis (hoje o valor seria em torno de R$ 2 bilhões), o imperador viveu seus últimos anos de forma modesta. Há quem diga que as únicas coisas que ele levou consigo foram uma edição original de um livro de Camões e um travesseiro com terra do Brasil. #Curiosidade #História