Uma possível detenção quase terminou em tragédia no último domingo, 13, em Rondonópolis. Um jovem de 16 anos, portando uma #Arma de Fogo calibre 38, andava na garupa da moto de uma amiga, quando uma viatura apareceu.

Ao ver a viatura da Polícia Militar, o jovem decidiu retirar a arma que estava em sua cintura e jogá-la em uma mata, a fim de evitar ser detido. O problema é que o adolescente, que em respeito ao ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), não teve seu nome divulgado para a imprensa, ficou muito nervoso ao ver a guarnição e ao retirar a arma da cintura para jogá-la, disparou contra o próprio pênis.

Logo que o disparo aconteceu, foram realizados os primeiros socorros e o rapaz foi levado para um hospital público da região.

Publicidade
Publicidade

O menor contou que o tiro havia sido disparado por dois indivíduos, mas no hospital foi notado que o ferimento foi feito de cima para baixo. Os policiais conversaram com o jovem e ele confessou que sentiu medo de ser preso e decidiu se livrar da arma, mas o plano acabou não dando muito certo.

A polícia foi até a mata procurar pela arma de fogo, mas não a encontrou. O local onde o jovem afirmou ter jogado o revólver, que foi a poucos metros de onde foi socorrido, é conhecido por ser frequentado por usuários de drogas.

Por ser menor de idade, o adolescente trapalhão não responderá criminalmente por porte ilegal de arma. Não há informações sobre a forma como o jovem obteve a arma de fogo ou se já tinha cometido crimes utilizando-a.

O menor e a jovem de 21 anos que pilotava a moto no momento em que ele atirou em si próprio, prestaram esclarecimento em uma delegacia de polícia e foram liberados.

Publicidade

Casos semelhantes

Apesar de muita gente ter usado as redes sociais para rir do adolescente, não é primeira vez que alguém atira no próprio órgão sexual por #Acidente. Em março de 2015, um homem que assaltou uma loja de ferragens em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, chegou a atirar contra o próprio corpo, enquanto fugia do local do crime.

A polícia não teve nenhuma dificuldade em localizá-lo, devido o ferimento ‘naquele lugar’. A polícia e o hospital não conferiram maiores informações sobre o caso, mas garantiram que o bandido não precisou amputar o seu órgão genital e que seria levado para a penitenciária estadual, após receber alta.

Outro caso aconteceu mais recentemente, em Cujubim, em Rondônia. Um homem trabalhava na manutenção em uma espingarda (item comum em zonas rurais) quando a mesma disparou, acertando em cheio aquele lugar. Ele perdeu muito sangue e precisou ser hospitalizado. #Casos de polícia