Ariadne Wojcik se suicidou após fazer uma denuncia de assédio sofrido enquanto estagiava em um escritório de advocacia em Brasilia.

"É com muito pesar que escrevo essa mensagem. No decorrer desse longo ano eu passei em uns cem números de "saídas", mas fica difícil quando se é vitima de uma mente brilhantemente psicopática e narcisista determinada. Esse texto tem dois intuitos, denunciar uma situação de abuso insustentável e alertar as pessoas para a gravidade desse tipo de situação", escreveu. O texto foi publicado em uma rede social e causou comoção em várias pessoas.

Em declaração, a jovem relata que sofria assédio de um professor que passou a presenteá-la e encaminhá-la mensagens pessoais, além de ter acesso a toda sua vida pessoal longe do escritório.

Publicidade
Publicidade

"As coisas ficaram muito estranhas quando ele demonstrava que sabia todos os lugares onde eu ia, sabia o teor das minhas conversas, com quem eu falava, sabia as páginas que eu acessava no meu computador pessoal".

Na carta também continha um trecho onde Ariadne afirmava que o professor chegou a pedir divórcio alegando estar apaixonado. "As coisas ficaram "sérias" quando ele me disse que estava se divorciando da esposa e que estava muito mal com tudo, olhava para mim com olhar de pesar e pedia que eu entendesse, dizia que gostava muito de mim e me pedia paciência".

Ainda na postagem, a jovem contou que decidiu abandonar o estágio e voltar para sua cidade natal, Cuiabá. Mas a mesma afirma que não foi o suficiente, mesmo após a mudança, o #Assédio continuava. "Eu achava que aqui, em Cuiabá, no emprego novo, na vida nova, eu estaria a salva da perseguição dele, mas ele nunca desiste, nunca.

Publicidade

Eu estou exausta e não tenho mais forças para tentar me desvencilhar das artimanhas dessa mente doentiamente perversa e egocêntrica. Cheguei no fim da linha".

Por fim, depois de alegar que não tinha mais saídas, a jovem tirou a própria vida. Seu corpo foi encontrado em um ponto turístico de MT. Ainda não se sabe como anda as investigações, mas a policia irá ouvir o depoimento de amigos e do taxista que levou Ariadne até o local em que seu corpo foi encontrado. #Suicídio