O índice de criminalidade tem aumentado cada vez mais em todo o Brasil. Não existe mais um estado menos violento, apenas lugares com #Violência mais ou menos explicita. Esse fato em conjunto com um processo penal defasado, um sistema carcerário falido e uma justiça que quase sempre preza pelo benefício do réu, faz com que a população queira criar seu próprio tribunal de exceção.

Um retrato dessa realidade aconteceu na cidade de Macau, localizada no Rio Grande do Norte, no último sábado, 26. Populares ficaram revoltados com a audácia criminosa de Richarlyson do Nascimento, de dezoito anos de idade, e decidiram fazer justiça com as próprias mãos.

Publicidade
Publicidade

Como os fatos aconteceram

Richarlyson do Nascimento assaltou uma idosa em via pública, sob grave ameaça e portando uma arma branca. Antes de evadir-se do local do #Crime, desferiu uma facada na perna da vítima.

Pouco depois, decidiu consumar um novo roubo, mais uma vez escolhendo uma idosa como sua vítima. Com uma faca em punho e ameaçando a mulher, o meliante foi visto por um popular, na hora do crime. O homem que presenciou os fatos tentou impedir que Richarlyson continuasse o ato criminoso. Os dois acabaram entrando em luta corporal e o criminoso desferiu uma facada no peito desse homem.

A partir do momento que esfaqueou o transeunte que tentava evitar que ele machucasse a idosa, os vizinhos do local do crime se revoltaram, se juntaram e partiram para cima do meliante. Rendido, Richarlyson foi espancado por várias pessoas, que jogaram pedras, telhas, tamborete e pedaços de madeira sobre ele, além de desferirem facadas em seu corpo, provavelmente a mesma faca que ele tinha em mãos na hora do crime.

Publicidade

O homem morreu no local.

A idosa foi atendida pelo hospital local e passa bem. Não foi divulgada nenhuma informação oficial sobre o estado de saúde do cidadão que foi esfaqueado no peito pelo criminoso.

A polícia civil investiga os responsáveis pelo linchamento e deixa um alerta: “Mesmo ele sendo um criminoso, a população não pode fazer justiça com as próprias mãos e por conta da morte de alguém, os responsáveis serão investigados e indiciados por homicídio doloso, quando há a intenção de matar”. #Casos de polícia