O domingo que marca o Dia da Consciência Negra (20) amanheceu mais sangrento na Cidade de Deus, comunidade do Rio de Janeiro, onde caiu um helicóptero da Polícia Militar na noite anterior.

A Polícia investiga se a aeronave sofreu uma pane ou se foi atacada por criminosos da comunidade dominada pelo tráfico de drogas. Quatro PMs que estavam no helicóptero morreram. Um quinto agente que estava na operação em terra também foi morto.

Em contrapartida, pelo menos sete corpos foram localizados nesta manhã (20), no interior da favela, que fica na zona oeste do Rio.

Os mortos seriam resultado de confronto durante operação que se intensificou na noite deste sábado (19), em resposta à queda da aeronave militar.

Publicidade
Publicidade

A comunidade está ocupada por ordem da cúpula da Secretaria de Segurança, sem prazo para o fim das ações.

Os próprios moradores removeram os corpos encontrados na área de mata da Cidade de Deus, colocando-os lado a lado em uma praça central. A maior parte dos cadáveres teria sido carregado pelos próprios pais dos supostos bandidos.

Os moradores denunciam que os filhos foram executados sumariamente por policiais do BOPE (Batalhão de Operações Especiais).

Os cadáveres foram encontrados desprovidos de objetos pessoais, de armas e alguns estavam nus.

Um dos moradores da comunidade, o pastor Leonardo Martins da Silva, disse em entrevista ao G1 que os mortos pertenciam, sim, ao mundo do crime, mas que eles deveriam ser apenas presos. Ele argumentou que apesar de serem bandidos, não há justificativa para terem sido mortos com balas à queima roupa e até a facadas.

Publicidade

O pastor fala por experiência própria, já que um dos mortos é seu próprio filho, Leonardo Martins da Silva Júnior. O jovem tinha 22 anos e pertencia à facção criminosa Comando Vermelho.

Em um vídeo que passou a circular na internet, uma mãe denuncia a morte de seu filho. Ela aparece gritando que o corpo do rapaz está no mato, que é mãe e que ele tem o seu sangue.

Membros das equipes técnicas do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foram nesta manhã (20) até o local onde o helicóptero caiu e pegaram amostras e equipamentos para análises. Os destroços já foram retirados da área.

#Casos de polícia