Horas depois de supostamente o helicóptero da polícia militar ter sido derrubado no Rio de Janeiro, a própria PM realizou uma grande incursão na 'Cidade de Deus'. De acordo com informações do jornal carioca Extra, em reportagem publicada neste domingo, 20, vários homens foram mortos. Até às 15h, pelo menos sete cadáveres estavam espalhados pela localidade conhecida como 'Brejo'. Esse espaço da 'Cidade de Deus' é conhecido por ter uma mata fechada. As informações são de que os mortos podem ter relação com o tiroteio de sábado, 19, que fechou por duas vezes uma das principais vias da cidade, a Linha Amarela. Muitos parentes dos mortos estavam em volta dos corpos.

Publicidade
Publicidade

O ambiente na localidade tem cerca de duzentas pessoas.

A perícia ainda estava na favela, o que deixou tudo ainda mais confuso. Para realizar os exames, os peritos estavam acompanhados de blindados da PM, afim de que não tivessem qualquer prejuízo ao realizarem a ação. . Os agentes da Delegacia de Homicídios cercaram o local para realizarem esse tipo de trabalho. Em entrevista ao Extra, moradores da região disseram que foram os próprios moradores e parentes das vítimas que retiraram os corpos da mata. Até o momento, nenhum deles teve a identidade revelada. Os cadáveres foram tapados com lençóis e colocados onde existe uma espécia de tapadeira, protegidos do sol e do tempo.

Oficialmente, a polícia ainda espera a perícia afim de dizer o real motivo do que levou a queda do helicóptero que matou quatro pessoas.

Publicidade

Vídeos disparados na internet exibem até a comemoração de bandidos, ao saberem que tinham conseguido a proeza de acabar com a aeronave. As imagens mostram que eles tentaram abater o veículo aéreo durante diversas vezes. Já os cadáveres encontrados na favela, tinham marcas de tiro por todo o corpo. Na internet, também circulam provas que mostram o apelo de uma mulher, que quer tirar os corpos da mata, mas que não estava conseguindo fazer isso até aquele instante. O nome dessa senhora não foi identificado. #Crime #Investigação Criminal