Qual o limite da cara de pau da bandidagem? Talvez não haja mesmo. Prova disso são bandidos que provocaram a ira dos cariocas ao gravarem vídeos ironizando a segurança pública do Rio de Janeiro. O bando comemorou o que seria a invasão de um morro, como noticiou nesta segunda-feira, 07, o jornal carioca Extra. Durante a publicação, os meliantes ainda tocam funk para comemorar. Um dos homens, no entanto, talvez não esperando o que fosse acontecer, acabou sendo identificado pela polícia. Conhecido como Léo Mingau, o bandido de vinte e quatro anos tem como nome verdadeiro Leonardo Dias Guimarães.

Nas imagens, Leo aparece com um enorme fuzil, ao lado de seis outros comparsas.

Publicidade
Publicidade

Todos eles fortemente armados. Mingau representa a maior fação do #Crime na cidade maravilhosa. Antes mesmo das imagens virarem de conhecimento do grande público, ele já tinha a prisão preventiva pedida. Segundo a polícia, Leonardo teria cometido um roubo e depois um assassinato. A prática, de acordo com nossa legislação é conhecida como latrocínio. 

De acordo com a Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), Mingau também teria liderado a invasão de uma comunidade da região, conhecida como 'Morro do Jorge Turco'. Por conta da invasão, o comércio de drogas passou a ser dele. Até então, outros criminosos eram os donos da boca. Após zombar dos policiais do Rio de Janeiro, Mingau agora está sendo cassado. Ele virou alvo do 'Disque-Denúncia'. Qualquer informação sobre o seu paradeiro, caso confirmado, dá uma recompensa de mil reais. 

Na internet, moradores da região dizem ter medo de algum tipo de represália.

Publicidade

Muitos traficantes, no entanto, acabam sendo mortos antes mesmo de serem presos. O Rio de Janeiro, tentando deter a criminalidade, investiu na última década nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). No entanto, o governo estadual passa por uma grave crise econômica, que ameaça até a pagar os salários da segurança pública. O governador, Luiz Fernando Pezão, enquanto isso, pede compreensão da sociedade. Dá para acreditar?