A bandidagem realmente não tem limites. Quando é para zombar a polícia e até a autoridade pública, eles não tem noção do perigo. Prova disso é que nessa semana, um vídeo de criminosos do Rio de Janeiro acabou viralizando em toda a internet. Ele acabou irritando muita gente, que ao assistir as imagens, mostraram toda a sua identificação. Isso porque, de acordo com informações do Jornal Extra, a publicação seria uma comemoração de bandidos que haviam acabado de invadir um morro. No entanto, o que os bandidos não imaginavam é que o castigo fosse chegar rápido. A fama das imagens nas redes sociais acabou ajudando a polícia encontrar pelo menos um dos homens.

Publicidade
Publicidade

Ele seria Léo Mingau, que tem 24 anos e cujo nome verdadeiro, na verdade, é Leonardo Dias de Guimarães. No vídeo, ele aparece com um enorme fuzil ao lado de seus outros criminosos. Todos os homens que estão nas imagens estão muito bem armados. Segundo a polícia, Mingau seria o representante da maior facção do #Crime na atualidade, no Rio de Janeiro. Antes mesmo dele ser preso, a polícia chegou até a oferecer dinheiro para saber o paradeiro dele. Esses pedidos foram feitos através de seu programa de proteção, conhecido como o disque-denúncia.

Além de pagar uma quantia chamada de premiação, a pessoa que revelar o real local da estadia dos meliantes também tem toda a preservação de seu nome garantida. Segundo informações da delegacia de combate às drogas, Mingau também liderou a invasão de uma outra Comunidade, da região conhecida como Morro do Jorge Turco.

Publicidade

A ocupação do Morro do Jorge Turco gerou um verdadeiro reboliço na região. Isso porque o comércio de drogas acabou passando de mãos, complicando bastante a situação da violência na comunidade.

Os bandidos que acabaram zoando os policiais no começo, agora são alvos de diversas operações. Comenta-se nos bastidores da polícia, que virou uma questão de honra encontrar os homens que zombaram até mesmo na secretaria de segurança de ordem pública do Estado. Apesar de um dos homem já ter sido preso, os demais ainda estão soltos e a polícia pede ajuda para encontrar-los. #Investigação Criminal