A tragédia com o voo em que estavam todo o time e o treinador do time da #Chapecoense, indo para a final da Copa Sul-Americana em Medellín, na Colômbia, movimentou o mundo e comoveu muita gente durante toda esta terça-feira, dia 29 de novembro. A data promete ficar marcada na memória dos brasileiros, fãs de futebol e dos profissionais da imprensa. Durante o dia, diversos sites divulgaram notícias sobre o acontecimento, que também foi noticiado pelos canais de televisão em toda a grade de programação. No Jornal Nacional, uma reportagem mostrou momentos antes da tragédia com o título de "Sonho interrompido".

Já a televisão boliviana, Gigavisón, postou, em seu site, #imagens minutos antes do avião que caiu próximo a Medellín.

Publicidade
Publicidade

No vídeo, repórteres conversam com a equipe do time que estava a caminho da final de futebol. Muito animados, os jogadores e seu treinador deram entrevista com alta expectativa de vitória.

A reportagem destacou que a companhia aérea pela qual os jogadores voam é um "amuleto" para eles.

"Muito importante para nós. Trabalhamos com eles (a empresa) no jogo de Barranquilla (Colômbia), fomos muito bem atendidos. Esperamos que nos dê sorte como foi da primeira vez e que a gente consiga levar um bom resultado ao Brasil", fala dirigente do Chapecoense.

O acidente do avião que ia para Medellín matou 75 pessoas. Seis se salvaram com vida, mas permanecem no hospital em observação e tratamento: Follmann, Neto e Alan Ruschel (jogadores), Rafael Henzel (jornalista) e Ximena Suárez e Erwin Tumiri (tripulantes).

Publicidade

Bola fora

Quem não se saiu nem um pouco feliz na cobertura da tragédia foi o site Catraca Livre. Conhecido por suas matérias "leves", o portal pecou em postar textos falando sobre "medo de voar" e "fotos de pessoas que morreram em acidentes aéreos'. Até mesmo imagens dos jogadores que sofreram o desastre e não sobreviveram foram colocadas como exemplo.

A situação causou raiva e revolta entre os internautas, que logo depois montaram uma campanha contra o site. No Facebook, muitos pediram que seus amigos descurtissem a página do Catraca, que tinha pouco mais de 8 milhões de seguidores. Atualmente, esse número é próximo de 7 milhões e diminui a cada instante. #Morte