Nesta terça-feira, 29, a notícia da tragédia que matou 75 pessoas que viajavam em um avião chocou o mundo. Na televisão, o assunto virou pauta dos principais jornais, programas de auditório, com transmissão ao vivo sobre o tema a todo o momento. Pela internet, foi montada uma campanha em todas as redes sociais para homenagear os jogadores do time #Chapecoense, que faleceram junto de seu técnico enquanto iam para a final da Copa Sul-Americana na cidade de Medellin, Colômbia.

Contudo, um "erro" do site #Catraca Livre causou revolta em quem acompanhou minuto a minuto as novidades sobre a tragédia. O portal decidiu postar notícias "engraçadas" sobre mortes causadas por acidentes de avião.

Publicidade
Publicidade

Quando viu, porém, a reação do público, que começou denunciar a página do site de notícias no Facebook, os donos decidiram apagar os posts e divulgar uma mensagem de desculpas.

Nas manchetes postadas pelo Catraca, é possível ler "10 fotos pesadas de pessoas instantes antes da própria morte", "10 mitos e verdades sobre viajar de avião", "imagens que mostram a reação de passageiros em um acidente de avião" e também "10 fotos de pessoas em seu último dia de vida". Nesta última reportagem os jornalistas do site decidiram usar fotos do jogadores dentro do avião, o que aumentou as reações contra o portal. Um perfil falso da atriz Luana Piovani também fez campanha contra o site.

"Pensem em um portal bem ridículo. Pensou? Agora multiplique por 3. Multiplicou? Esse é o cretino do Catraca Livre! Ou pode chamar Catraca Lixo!", postou.

Publicidade

Outro usuário, identificado como Pepe, pediu que as pessoas "descurtissem" o site. "Você já descurtiu o Catraca Livre hoje? Em homenagem ao falecidos no acidente do Chapecoense e seus familiares, eu descurto o Catraca Livre", disse.

O site é um dos assuntos mais comentados no Twitter e também já se encontra nos trending topics do Google.

Perdão pelo vacilo?

Por meio de seu Facebook, o site decidiu se manifestar pedindo perdão aos leitores. O Catraca Livre disse que entende e respeita as críticas, mas não assumiu completamente a "culpa" do sensacionalismo provocado por ele. O site justificou que é "relevante jornalisticamente mostrar outros pontos da tragédia, como medo de voar". #Jornalismo