Na manhã desta sexta-feira (4) foi deflagrada uma das maiores operações da Polícia Federal nos últimos tempos. A Operação "Cavalo Doido" visa combater o tráfico internacional de #drogas que atinge diversos estados do #Brasil e tem, segundo a PF, movimentação de mais de um bilhão de reais. Mais de duzentos policiais participam da operação.

De acordo com a #Polícia Federal, o esquema de tráfico de drogas, produzidas no Paraguai, abastecia os estados de Goiás, Pará e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal. As investigações começaram quando a PF identificou o caminho das drogas do grupo, que ingressava no Brasil pela região da fronteira com a cidade de Pedro Juan Cabalero, no Paraguai.

Publicidade
Publicidade

Mais de dez toneladas de drogas, além de armas de grosso calibre e carros luxuosos, foram apreendidos no decorrer das investigações. A PF conseguiu bloquear, durante a investigação, oitenta contas em bancos ligadas ao grupo. A operação teve colaboração bilateral das policias do Brasil e do Paraguai.

Ainda segundo a PF, são oitenta e um pedidos judiciais, dos quais vinte e um são mandados de prisão preventiva, onze de prisão temporária, trinta e quatro de busca e apreensão e quinze conduções coercitivas, para prestação de esclarecimentos. O nome da operação é uma referência ao jeito que os bandidos transportavam os entorpecentes. Os veículos usados possuíam bancos e acessórios arrancados, e todo o espaço era ocupado com grande quantidade de drogas, sem qualquer tipo de disfarce. Carregado, o carro vinha em grande velocidade, sem paradas, e sem respeitar qualquer tipo de sinalização ou autoridades públicas.

Publicidade

O objetivo, segundo a PF, era evitar qualquer tipo de perda das drogas e chegar o mais rápido possível ao ponto onde a droga deveria ser repassada.

Os investigados podem ser responsabilizados por tráfico internacional, associação ao tráfico, corrupção ativa, adulteração de arma de fogo e porte ilegal de armas. Juntas, as penas podem superar trinta anos de cadeia. Equipes da PF vão destruir todas as plantações de drogas que foram encontradas nas fazendas dos criminosos.