Hoje (28), uma adolescente de apenas 14 anos, foi detida pela polícia sob a acusação de ter assassinado a sua própria mãe, de 50 anos. O crime aconteceu nessa última madrugada e, na opinião da polícia, o mesmo teria sido motivado porque a mãe se negou em emprestar o seu cartão de crédito à filha.

Tudo teria começado quando a mãe da adolescente, Lucimara Haas, uma mulher viúva de 50 anos, se negou em dar o seu cartão de crédito à sua filha. A menor não aceitou bem a decisão da mãe e iniciou uma discussão violenta que viria a originar a terrível tragédia apenas algumas horas mais tarde.

A adolescente foi até à casa da irmã mais velha, que vivia muito próximo, e pediu uma faca emprestada.

Publicidade
Publicidade

Como desculpa, disse que iria usar a “arma” para cortar um pedaço de couro. Depois, entrou no quarto da mãe, que já estava dormindo e a surpreendeu com golpes violentos na barriga e no pescoço.

Lucimara Haas ainda foi levada com vida pelos socorristas até a Santa Casa da Misericórdia de Irati, no entanto, ela acabou por resistir aos ferimentos. A polícia foi, de imediato, chamada ao local do #Crime, onde encontrou duas facas no meio daquele cenário macabro e sangrento.

Assim que a polícia chegou ao local do crime, a menor foi apreendida pelas autoridades. A adolescente prestou depoimento durante a tarde de hoje e confirmou ao juiz que tudo o que aconteceu foi motivado por uma discussão relacionada com o cartão de crédito. Ela contou ainda, durante a sessão no Tribunal, que o cartão tinha um limite de R$10 mil e que foram alguns amigos que a incentivaram a cometer o crime.

Publicidade

A menor vai agora ser encaminhada ao Ministério Público e será julgada por homicídio. Uma vez que ainda é adolescente, irá enfrentar uma pena máxima de três anos em regime fechado.

Depois desse crime, a calma cidade de Imbituva, com pouco mais de 30 mil habitantes, ficou em choque.

O que você acha sobre esse tipo de crime? Acha que os adolescentes deviam ser julgados como os adultos nos casos de homicídio? Escreva a sua opinião nos comentários! #Brasil #Casos de polícia