Ex-governador do #Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB) passou sua primeira noite no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu. Ele foi detido nesta quinta-feira, dia 17, em fase da Operação Calicute, da Polícia Federal (PF). Na manhã desta sexta-feira, dia 18, Cabral teve café da manhã composto por mão com manteiga e café com leite, mesmo cardápio de todos os presos detidos no complexo de Bangu.

Cabral está detido em uma cela de nove metros quadrados, acusado de chefiar um esquema de #Corrupção que desviou mais de R$ 220 milhões em obras públicas, como nas reformas do Arco Metropolitano e do estádio do Maracanã. De acordo com a PF, Cabral teria recebido mesadas de empreiteiras que variavam de R$ 200 mil a R$ 500 mil.

Publicidade
Publicidade

A verba seria fruto de acordos que previam vantagens para as empresas em troca de propina para políticos.

A prisão de Cabral foi uma ação conjunta entre a Polícia Federal do Paraná, responsável pela condução da Operação #Lava Jato, e a Polícia Federal fluminense. O ex-governador do Rio foi detido no prédio de luxo onde vive, no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro.

Da inauguração à detenção

Segundo noticiado por jornais fluminenses, Cabral ficará detido em Bangu 8. Por ironia, a unidade do complexo foi inaugura justamente por Cabral, então governador do Rio em 2008.

O peemedebista terá como companheiro de cárcere o também ex-governador Anthony Garotinho (PR), que foi transferido do hospital Souza Aguiar para o complexo de Bangu na noite desta quinta-feira. Ex-aliados políticos até 2006, Garotinho e Cabral se tornaram rivais nas disputas da política fluminense.

Publicidade

Hoje arqui-inimigos, os ex-governadores voltam a se encontrar nos corredores do complexo penitenciário mais importante do Rio.