Uma enquete do programa da Rede #Globo, "Encontro com Fátima Bernardes", está causando revolta nos policiais. O programa "jogou" no ar uma pergunta aos telespectadores, dizendo que se tivesse um traficante gravemente ferido e um policial levemente ferido, qual as pessoas preferem ajudar primeiro. A maioria dos participantes do programa comentou que ajudaria o criminoso, por estar em estado mais grave. Após isso, começou uma grande polêmica nas redes sociais. Policiais se revoltaram com a enquete e pessoas começaram a "atacar" Fátima Bernardes, criticando sua atitude de "proteger bandidos", conforme os internautas falaram.

Indignação

O deputador federal Jair Bolsonaro ficou indignado com o programa e gravou um vídeo mostrando a sua revolta.

Publicidade
Publicidade

No vídeo, o deputado peguntou como podemos chegar a esse estado. "Uma mídia parcial que prefere dar mais atenção a um criminoso do que a um policial, herói da sociedade", disse Bolsonaro.

Em uma operação da polícia no Rio de Janeiro, um helicóptero com quatro policiais caiu matando todos. No velório dos policias, o deputado, muito revoltado, disse que quem tem dó de bandido são verdadeiros "marginais". De acordo com o deputado, os direitos humanos só defendem os traficantes e deixam de lado os policiais.

"Essa enquete da apresentadora é um verdadeiro desrespeito aos policiais", disse o deputado.

Críticas

O site do programa "Encontro" recebeu uma "enxurrada" de críticas. Foi lembrado até um fato que aconteceu com a família da apresentadora, onde um ator salvou o pai de Fátima de uma queda na rua.

Publicidade

O espectador perguntou: "Se além do pai de Fátima, houvesse um bandido gravemente ferido, quem deveria ser salvo primeiro?".

Outro internauta disse que se os filhos da apresentadora fossem sequestrados e o bandido batesse o carro, e estivesse muito ferido e Fátima e seus filhos apenas algumas escoriações, quem deveria ser salvo primeiro?, pergunta o internauta.

Segundo Bolsonaro, a bandidagem tem um "porto seguro" nos direitos humanos, e os verdadeiros 'heróis' são esquecidos. #Brasil #Casos de polícia