Bonita, influente, amada nas redes sociais. Essa era a vida de Thaise Aparecida, uma jovem que ostentava sua vida de luxos no Facebook. Loira platinada, ela adorava selfie, agora, no entanto, não pode mais brincar de fazer postagens, já que está atrás das grades. De acordo com informações do portal de notícias R7, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 25, Thaise era tão bonita que ganhou o cunho de "gata do pó", um apelido que já deixa claro com que atividade ilícita ela estava envolvida. A loira, entretanto, terá que parar um pouco com esse tipo de comércio. Ela foi presa em flagrante pela polícia, o que complicou bastante sua vida, já que não conseguiu fazer com que sua fiança fosse paga.

Publicidade
Publicidade

No momento da prisão houve o mais curioso, a mulher estava com uma pedra de crack absurdamente enorme. Agentes da lei dizem que ela tentava esconder o objeto, maior que uma bola de futebol, embaixo de sua saia. Ela estava em um veículo, quando foi encontrada pelos representantes da lei. A loira que tinha o apelido de "gata do pó" não estava sozinha. Ela foi encontrada pela PM com outro homem, identificado pela TV Record como Alexandre Ferreira. A polícia descobriu que os meliantes estavam com a tal pedra por conta de uma denuncia anônima.

Alguém que não estava muito feliz com esse tipo de tráfico, que é ilegal segundo a nossa constituição brasileira, contou que Thaise Aparecida e o comparsa, levavam a droga da cidade de Sorocaba para a de São Roque, localizada no interior de São Paulo.

Publicidade

No meio do caminho, já sabendo da denúncia, a polícia solicitou que o casal parasse o carro. Eles então, desesperados, tentaram arrancar com o carro, indo à frente. No entanto, não teve jeito, esse não era o dia para a bandidagem e a dupla acabou sendo presa.

Na casa da chamada "gata do pó", a polícia ainda encontrou outros materiais que comprovam que a presa era mesma uma traficante. No local, estavam localizados plásticos usados para embalar as drogas. A bela já havia ido parar na cadeia em 2011. #Crime #Investigação Criminal