Geddel Vieira Lima, o pivô da demissão de Marcelo Calero, estudou no colégio com Renato Russo em Brasília, no Marista e na biografia do vocalista da Legião Urbana, "O filho da revolução", podemos ver que os dois nunca se entenderam. Renato dizia que Geddel era simplesmente insuportável e que não queria ele de forma alguma no grupo que estava sendo formado para a realização de um trabalho sobre a história do rock.

Ainda de acordo com a biografia de Renato Russo, Geddel era chamado pelos colegas de escola de "Suíno" e ele sempre quis ser mais próximo do cantor e ficar com seu grupo, só para conseguir melhores notas.

Renato Russo era filho de um graduado funcionário do Banco do Brasil, enquanto Geddel era filho de um político baiano.

Publicidade
Publicidade

Fica claro o interesse de Geddel em fazer parte do grupo de Renato com o objetivo único de conseguir passar de ano com maior facilidade, mas ele não conseguiu passar no rigoroso processo seletivo do cantor que na época nem imaginava que seria lembrado para sempre como um dos melhores cantores e compositores de todos os tempos.

Quem escreveu a biografia foi Carlos Marcelo e na época ele foi atrás de Geddel para se informar melhor e conseguiu a confirmação de que ele realmente chegou a ter contato com Renato Russel, só que já não se lembrava mais de tais detalhes. Carlos Marcelo diz que isso pode ser verdade, já que Renato dizia essas coisas só para seus amigos mais próximos.

Para participar do grupo de Renato Russo, o interessado precisava a ter disposição para fazer tudo como ele gostava.

Publicidade

O vocalista da Legião era muito rigoroso. Muitos colegas pediam para entrar nesse grupo, como o próprio Geddel, mas não conseguia. Outro detalhe revelado é que Geddel era o palhaço da turma, mas era muito invejado pelos rapazes porque atraía a atenção das moças ao chegar no colégio em um Opala verde.

Para deixar bem claro que Geddel não ia entrar em sua turma, Renato Russo disse a Maria Inês: "Ele é in-su-por-tá-vel!", fazendo questão de dividir as sílabas para mostrar que não havia a menor possibilidade dele vir a mudar de ideia. #Polêmica #Famosos #Casos de polícia