Um #Crime está tirando o sono dos moradores da grande São Paulo. Um guarda civil da cidade de Santo André confessou que criou diversos perfis no Facebook se passando por mulheres bonitas. Através desses perfis na internet, ele acabou atraindo jovens para uma festa que aconteceria no dia 21 de outubro. Cinco desses jovens apareceram mortos. Os corpos deles foram encontrados nessa semana. Apesar de ter criado perfis na internet, o guarda civil que não teve o nome identificado, negou que tenha assassinado o grupo. De acordo com informações do jornal O Globo, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 11, o guarda já conversou com a polícia que investiga o crime.

Publicidade
Publicidade

O departamento de homicídios e proteção à pessoa já ouviu a confissão do homem, que diz apenas que queria atrair os jovens para prendê-los. Ele negou que tivesse qualquer tendência homossexual e que quisese realizar relações sexuais com os rapazes. Apesar de confessar que queria prender os supostos criminosos o guarda diz que não matou ninguém. Segundo ele. outros companheiros de farda também teriam participado da empreitada. O Instituto Médico Legal já identificou a maioria dos corpos encontrados. Um deles é de um cadeirante que não tem passagem pela polícia. Ele foi esfaqueado. Os demais corpos foram encontrados em um carro. Os quatro rapazes que estavam no carro já tinha passagens pela polícia. Eles foram mortos a tiros e facadas. Os tiros disparados foram de armas de calibre 38 e 12.

Publicidade

A polícia trabalha em uma linha de investigação de que guardas civis queriam provocar um grupo de extermínio, assassinando os supostos criminosos, Já que quatro dos cinco rapazes tinham passagens pela polícia. A família da maioria deles clama por justiça e pede ajuda para que o crime seja resolvido. O tribunal de justiça militar já decretou apuração da Corregedoria da PM para tentar identificar quem são os outros guardas que participarão do crime. Há diversos indícios de que também um policial militar teria participado da ação. Isso porque mensagens enviadas por um dos jovens mostram que ele estava sendo abordado por uma blitz da Polícia Militar. Em uma mensagem enviada pelo WhatsApp, ele criticou a postura da PM para uma amiga, dizendo que sofreu esculachos dos policiais. #Investigação Criminal