Um #Crime bárbaro está mobilizando a internet. Uma petição na web solicita que o Ministério Público (MP) investigue um assassinato de uma cadelinha. O crime, segundo informações do portal de notícias da G1, aconteceu no município de Itanhaém, no estado de São Paulo. A morte teria sido efetuado por um idoso. Ele teria usado uma foice e matado o animal na frente das próprias donas. De acordo com as testemunhas, a cachorra, que estava acima do peso e andava com dificuldades, viu o homem passando no meio da rua e decidiu atacá-lo. 

Em entrevista ao G1, uma das donas do animal, Veronica Rodrigues de Oliveira, que trabalha como profissional de relações públicas, revelou que estava esperando sua filha chegar da escola em frente da casa onde elas moram.

Publicidade
Publicidade

Na região, segundo ela, não há tantos moradores, pois é usada mais para o "veraneio". No momento do acontecimento, a mulher limpava a casa e recolhia o lixo, quando o acusado de matar sua cachorra passou pela rua. A cadela, de nome Lassia (inspirado no filme), acabou se aproximando do seu suposto assassino. 

Aos 63 anos, o homem que andava com uma foice nas costas, saiu da sua bicicleta, pegou a arma e abriu a barriga da cadela, que faleceu naquele instante. Irritada, ela foi atrás do idoso para bater nele com a vassoura. No entanto, ele foi para atacá-la. Outros cães da dona de casa apareceram e, segundo a própria, agiram em sua defesa. O idoso não se deu por vencido e tentou também assassinar os demais animais. De acordo com a mulher, vários vizinhos que viram a cena, filmaram tudo e podem testemunhas a seu favor. 

Ela conta que usou a vassoura para impedir que o homem usasse a foice para matar seus outros animais domésticos.

Publicidade

A profissional de relações públicas ainda disse que o homem fingiu estar machucado para tentar enganar a polícia, que foi chamada para que a ocorrência fosse registrada. Ele enrolou uma faixa no braço. Ela revela que o homem não é suportado por ninguém na região e que se aproveita do fato de ser idoso para fazer o que quiser. "É um demente", revelou.  #Investigação Criminal