Cenas flagradas por um circuito de segurança mostram o momento em que Érica da Silva Souza Leite, esposa de um vereador de Tabira, no Sertão de Pernambuco, é esfaqueada.

A vítima foi golpeada na manhã da última terça-feira (1º) e não resistiu aos ferimentos. Sua morte ainda está sendo apurada, mas a polícia já tem informações importantes sobre o #Crime.

No vídeo, divulgado na última quarta-feira (2), a Érica aparece abrindo a porta da casa onde mora. Alguns segundos demoram para ela perceber que corre perigo. Ela tenta impedir o assassino de entrar na casa, mas ele é mais forte e consegue forçar a porta até entrar. A vítima cai no chão e não consegue se levantar a tempo de fugir.

Publicidade
Publicidade

O criminoso saca a faca da cintura e dá um só golpe, na região do pescoço. Atingida com gravidade na calçada, defronte à residência, a mulher ainda consegue se levantar e gritar por socorro e para que alguém alcance seu assassino.

O vídeo termina após 26 segundos, sem deixar claro se a vítima foi imediatamente socorrida. Entretanto, a imprensa local relatou que ela foi encaminhada para o hospital municipal, onde chegou já em óbito.

Érica era casada com o dentista e vereador eleito, Marcílio Pires, e tinha 30 anos de idade.

Maria Silvaneide da Silva Patrício, de 44 anos, é apontada como a responsável intelectual do crime.  A acusada é ex-mulher do vereador, o que demonstra a motivação passional do homicídio.

Para a polícia, Maria Silvaneide disse, em depoimento, que encomendou a morte da rival por R$ $ 1 mil.

Publicidade

Ela está presa.

O executor do assassinato, José Tenório, aceitou a proposta, cumpriu sua parte no plano, mas foi preso poucas horas depois de consumar o crime, na divisa dos municípios de Tabira e Solidão. Para encontrá-lo, os investigadores realizaram buscas com o apoio das equipes do 23º Batalhão da Polícia Militar, agentes do Malhas da Lei. Também participaram representantes do Ciosac, Polícia Civil e Guarda Municipal.

Ambos os acusados responderão por homicídio duplamente qualificado. Além de vereador e dentista, o pivô do crime era sargento reformado da Polícia Militar.

#Casos de polícia