O Feriado de Finados, nesta quarta-feira (2), foi marcado por uma rebelião que durou mais de 10 horas no Presídio José de Deus Barros. A unidade prisional fica na cidade de Picos, distante aproximadamente 310 km da capital Teresina. 

Um vídeo mostra cenas do tumulto, só controlado na madrugada de quinta-feira (3). Conforme informações das autoridades policiais do Piauí, a rebelião começou após a morte de dois detentos. Um era Benedito Josenildo Alves, apelidado de ‘Jotinha’, de 30 anos de idade, o outro era Alderi Pereira do Nascimento, de alcunha ‘Pezinho’.

As imagens, filmadas pelo comandante do 4.° Batalhão da PM, major Edwaldo Viana, flagram a operação dos grupos especiais militares e de agentes penitenciários no combate aos rebelados.

Publicidade
Publicidade

O vídeo registrou ainda a situação caótica em que a unidade penitenciária foi deixada. Os presos conseguiram serrar e arrancar grades, e também incendiaram muitos colchões. Foram necessários 50 agentes para conter os detentos e controlar a situação.

Conforme divulgou o Governo do Piauí, a Secretaria Estadual de Justiça abriu uma investigação para apurar a causa e circunstâncias das duas mortes.

Sabe-se que a penitenciária é capaz de abrigar 158 presos, mas está com mais do dobro disso: 389 homens.

Apenas em 2016 foram registradas 16 mortes violentas em presídios, configurando uma situação de alerta em virtude da superlotação do sistema prisional.

Mortes

Até o momento, os indícios demonstram que as mortes dos dois detentos são consequência de uma briga entre facções concorrentes. No momento dos assassinatos, eles estavam no horário do banho de sol.

Publicidade

Jotinha cumpria pena há quatro anos por tráfico de drogas. O criminoso teve muitas perfurações e não resistiu, falecendo antes mesmo de chegar ao hospital de Picos.

Já o suposto rival, apelidado de Pezinho, também foi socorrido, morrendo horas depois de ser internado na UTI. Ele, que chegou a ser operado de emergência, teria assassinado um membro da facção rival e estava preso há um ano por roubo. #Crime #Casos de polícia