A violência não é a solução para nenhuma situação, muito menos quando envolve qualquer tipo de #Relacionamento, seja ele familiar, entre amigos ou amoroso.

Mas uma mãe enfurecida partiu para a agressão da namorada da sua filha e acabou presa depois de espancar a garota de 15 anos. Saiba mais aqui.

De acordo com portal de notícias online G1, o caso aconteceu nesta quarta-feira (9), na cidade de Várzea Grande, localizada na região metropolitana de Cuiabá. A mulher de 34 anos inconformada com o relacionamento de sua filha com outra garota, perdeu a razão e agrediu a namorada da filha.

Mãe dá chutes, socos e pontapés na namorada filha

Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar, por não aceitar o relacionamento homossexual da filha, a mulher que não teve seu nome divulgado, agrediu duramente a namorada da filha que tem 15 anos.

Publicidade
Publicidade

A mãe enfurecida desferiu tapas, socos e pontapés na garota e ainda chegou a rasgar a roupa da vítima em via pública. A mulher foi detida e levada para a delegacia da região para prestar depoimentos.

As meninas namoram há quatro meses

As garotas namoram há quatro meses e estudam na mesma escola. Foi nas proximidades da instituição de ensino, localizada no bairro Vitória Régia, que a mulher encontrou o casal e partiu para cima das meninas. De acordo com a vítima, a mãe da namorada afirmou que toda vez que a encontrar vai dar uma surra nela.

Joelma Aparecida de Souza é tia da vítima e contou ao G1 que a sobrinha está muito abalada, sentindo dores por causa das agressões e chorando muito. De acordo com Joelma a família sabe do relacionamento da sobrinha com a filha da agressora e que todos aceitam com naturalidade o namoro das adolescentes.

Publicidade

A tia na garota acredita que a reação da mulher foi exagerada e impropria. Joelma relata que as meninas sempre frequentaram a casa da família e recebem todo o apoio. “Sempre ouço falar de crimes de #Homofobia, mas nunca perto da gente”, disse.

A mulher vai responder por agressão e homofobia. Até o fechamento desta materia não havia informações se a agressora havia sido liberada.

Deixe seu comentário a respeito deste caso. Sua opinião é muito importante para nós. #Casos de polícia