Nessa semana, um vídeo começou a circular na internet e gerou uma enorme revolta. As imagens exibem uma mulher subindo em um palco para aparecer em uma apresentação de funk. Ela está ao lado de um músico e seu dançarino, não conhecidos do cenário nacional. A mulher aceita fazer uma dança mega sensual e oque estaria por acontecer seria bem humilhante. Usando um saia muito curta e preta, ela inicialmente tem o seu bumbum apalpado pelo dançarino. A saia acaba subindo e a moça tenta não mostrar suas "vergonhas" para todos. O que talvez ela não imaginasse e que aquele episódio terminaria muito mal.

Logo na sequência, os homens pegam ela pelo corpo e sacodem como se estivessem a realizar uma relação íntima em pleno palco.

Publicidade
Publicidade

Sua parte traseira é enganchada no corpo do dançarino, que está sem camisa, já a dianteira, especialmente a cabeça, fica na região da genitália do cantor, que parece fazer isso costumeiramente. O vídeo foi gravado no Brasil. É possível ouvir alguns gritos em português, mas o local onde essa apresentação de funk aconteceu ainda é uma incógnita. Acredita-se que tenha sido em uma comunidade do Rio de Janeiro, estado onde o funk faz muito sucesso em favelas, carentes de qualquer fonte de cultura.

Após ser sacudida em pleno ar, a mulher tenta ainda se recompor do que havia acabado de acontecer, mas já era tarde. Toda a cena já estava gravada por vários celulares. Não se sabe se o conteúdo é recente ou se ele foi apenas repostado. Certo mesmo é que o vídeo já tem mais de 800 mil visualizações.

Publicidade

A garota, que não teve o seu nome revelado, sai do corpo dos artistas apenas com uma calcinha a mostra. Ela tenta se vestir, enquanto outras pessoas riem dela. Nas redes sociais, muitos se escandalizaram ao ver como uma menina aceitou passar por tal coisa. Alguns até dizem que ela foi abusada.

"Ela está errada, mas eles também exageraram. Ninguém merece isso", disse uma internauta.

Veja abaixo o vídeo que está provocando enorme revolta nas redes sociais. Não esqueça de comentar no conteúdo.

#Crime