Vanusa Aparecida de Almeida, 46 anos, moradora da cidade de Pimenta Bueno, distante 500 quilômetros de Porto Velho, Rondônia (RO), resolveu procurar a delegacia da Polícia Civil para fazer o registro de um Boletim de Ocorrência contra o atendimento do hospital público da cidade.

Ela conta que estava com fortes dores de enxaqueca e, por isso, resolveu procurar a emergência do hospital, sendo atendida pelo médico de plantão que receitou um remédio e duas injeções. Ela foi então encaminhada para a enfermaria para tomar as injeções. Após ser medicada, a técnica de enfermagem esqueceu uma agulha de seringa em sua nádega.

Quando ela estava voltando para sua residência pedalando em sua bicicleta, percebeu que tinha algo errado, pois a dor era forte na região do bumbum.

Publicidade
Publicidade

A agulha estava na nádega e ela pediu para uma amiga retirar o objeto.

Em entrevista ao portal de notícias G1, Vanusa disse que no início achou normal a dor da injeção, mas a dor não passava e ela começou a desconfiar que tinha algo errado, pois não conseguia suportar a intensidade da dor.

A amiga ficou assustada ao ver a agulha grudada no seu bumbum e antes de retirar o objeto resolveu registrar com fotos.

Depois de conversar com a amiga e familiares, ela resolveu procurar a Delegacia da Polícia Civil do local para prestar queixa, pois se alguma coisa acontecer com ela por conta do esquecimento da agulha, ela vai ter como provar.

Completamente revoltada, a ciclista voltou ao hospital municipal e foi encaminhada para a direção, que pediu desculpas pelo ocorrido. “Te pedimos perdão, é algo raro de acontecer, vamos punir exemplarmente a servidora com uma advertência por escrito.

Publicidade

Caso você tenha algum problema estaremos à sua disposição”, disse o diretor do hospital.

Vanusa não conseguiu falar com a servidora. Para ela, foi uma lastimável falta de atenção, e espera que este tipo de situação não se repita com mais ninguém.

O hospital não quis se pronunciar sobre o fato.

Conhece algum caso semelhante? Deixe um comentário. #Casos de polícia