Neste domingo, 27, o deputado federal Major Olimpio, eleito pelo Solidariedade de São Paulo, publicou em sua página oficial do Facebook um vídeo que mostra como é a realidade em presídios brasileiros. O conteúdo rapidamente atingiu dezenas de milhares de exibições. As imagens começam com uma carcereira chegando pelo lado de fora de uma cena bastante bagunçada. Ele chega com quentinhas, fazendo sua função, além de uma caridade aos homens que ali estavam. O episódio foi gravado por câmeras de segurança. O fato está registrado no dia 07 de outubro, por volta das quatro da tarde.

A mulher começa colocando as quentinhas no chão, tomando algumas medidas de segurança.

Publicidade
Publicidade

No entanto, uma delas fica impossível de ser alcançada pelo preso. Ele pede que ela a aproxime, pois estaria com muita fome. Sensibilizada, mas ao mesmo tempo realizando seu trabalho, a moça abaixa e aí que tudo acontece. Um dos homens puxa o cabelo dela. Os demais, ao invés de tentarem ajudar a mulher, pelo contrário, tentam maltratá-la ainda mais. Pelo menos três homens tentam arrancar os cabelos dela, que chega a cair no chão.

Uma outra carcereira, que estava perto, aproxima-se. Ela usa uma linguagem que funcionou melhor com os bandidos. A mulher aponta uma arma para os que estão dentro da cela e, apenas assim, eles soltam a vítima. "Esses são os "anjinhos" cheios de direitos e que alguns tanto defendem...Se as agentes não fogem ligeiras, será que estariam vivas?", escreveu Major Olimpio nas redes sociais junto ao vídeo que gerou grande debate online.

Publicidade

"Na minha opinião esse que cometeu esse absurdo passava um mês comendo só uma vez por dia sem banho de sol e mais umas coisas", opinou um dos internautas depois de ter assistido às imagens.

Veja abaixo o vídeo que mostra quando a mulher é atacada pelos presidiários. Atenção, as imagens são fortes. Lembramos que este é um cenário comum das nossas cadeias. O que você acha que deveria ser feito para mudar isso? Comente e compartilhe essa história com seus amigos.

#Crime #Investigação Criminal