A empresa Netshoes acabou causando revolta nas redes sociais nesta terça-feira, 29. O motivo foi o aumento oportunista das camisas da Chapecoense, time vítima da chamada maior tragédia do esporte de todos os tempos. Os jogadores do clube estavam um avião que caiu próximo à cidade de Medellín, na Colômbia. 71 pessoas, segundo informações atualizadas às 21h, no horário de Brasília, morreram na queda. A Netshoes cobrava até segunda-feira, 28, R$ 129 por um exemplar da camisa do time de uma das cidades de Santa Catarina. Já nesta terça, horas depois do ocorrido, o preço havia subido para R$ 249. A empresa, é claro, acabou sendo muito atacada nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

"Não comprem mais nada neles. Eles desrespeitam o consumidor diariamente e eu sou prova disso. To na justiça contra eles a um ano", disse um dos internautas no Twitter.

Ele não foi o único. Assim como aconteceu com o site 'Catraca Livre', criticado por suposto sensacionalismo exagerado em matérias, o nome da Netshoes ficou entre os temas mais comentados do Twitter. No microblog de 140 caracteres, internautas diziam que não comprariam mais na loja, já que ela estaria se aproveitando da dor alheia para aumentar seus produtos. "Eles deveriam baixar os preços, não fazer isso", opinou um dos consumidores. "Netshoes já dobrou o preço da camisa da Chape? como o ser humano é podre", criticou mais um. Fotos do histórico do site da própria empresa foram divulgadas amplamente.

Publicidade

Elas mostram uma curva ascende do preço justamente nesta terça-feira.

Lição não aprendida

Algo parecido aconteceu quando uma onda de preconceito atingiu jogadores brasileiros na Europa. Durante um jogo, um torcedor jogou uma banana em campo, em cima do jogador Daniel Alves. Ele pegou a fruta e comeu, dando uma grande lição de moral em todos. Uma marca vinculada ao apresentador Luciano Huck rapidamente começou a vender uma camisa com a frase "somos todos macacos". Depois das críticas, Luciano disse que o dinheiro das vendas seria revertido à instituições de caridade. #Chapecoense