Mais um capítulo do trágico acidente com o voo da #Chape, veio a público e mostra o desespero do piloto ao perceber que estava com problemas de combustível e que por isso não chegaria ao seu destino final.

De acordo com o portal de notícias online Globo Esporte, o copiloto da empresa Avianca, Juan Upegui, que estava em rota próxima ao avião da Chapecoense, pôde ouvir o relato desesperado do piloto da aeronave Lamia, pedindo prioridade para aterrisagem, pois estava ficando sem combustível.

Solicitamos prioridade para proceder, temos problemas de combustível

Segundo Juan Upegui, o piloto do avião que levava a delegação da Chape, jornalistas e convidados, em um primeiro momento, pediu permissão e prioridade de aterrisagem, a torre do Aeroporto de Rio Negro (Aeroporto Internacional José María Córdova), localizado em Antioquia, pois estava com problemas de combustível.

Publicidade
Publicidade

A controladora de voo do Aeroporto de Rio Negro, precisou negar a permissão para a aterrisagem, já que outro voo da VivaColômbia, já se aproximava para aterrissar.

"Temos um problema. Temos um avião aterrissando de emergência. Não pode proceder" - respondeu a controladora.

Ainda segundo o copiloto da Avianca, enquanto seu voo recebia a permissão da controladora para aterrissar na pista 1 do Aeroporto de Rio Negro, a tripulação do voo da Chape, em desespero informou que a aeronave apresentava pane elétrica.

"Agora temos uma falha elétrica, temos uma total falha elétrica. Nos ajude a achar a pista, nos ajude a achar a pista".

Minutos depois a torre de controle perdeu o contato com o avião da Lamia. A controladora de voo, ainda tentou por mais tempo, contato com a aeronave da Chapecoense, mas não obteve mais resposta.

Publicidade

Infelizmente o acidente com o avião, deixou 71 mortos e seis pessoas sobreviveram. O avião levava a delegação da Chape para disputar o primeiro jogo da final da Sul Americana, contra o time do Atlético Nacional, que seria disputado nesta quarta-feira (30).

Liberação dos corpos

Segundo o portal online da Folha de S. Paulo, 20 corpos já foram identificados, pelos técnicos da Polícia Federal e do Itamaraty, que chegaram na Colômbia, em aviões da FAB, na madrugada desta quarta-feira.

As autoridades brasileiras e colombianas acreditam que até o final desta quarta-feira, todos os 71 corpos sejam identificados, já a maioria dos reconhecimentos estão sendo feitos através das digitais.

Ouça aqui o áudio onde o copiloto da Avianca narra a conversa entre o piloto do avião da Chape com a torre de controle:

#Tragédia #Acidente Chapecoense