O caso aconteceu na cidade de Castanhal, nordeste do estado do Pará, onde um padrasto ameaçou com uma faca matar a própria enteada, uma adolescente de 14 anos. Uma patrulha policial foi até uma casa, localizada na 4ª Travessa do Bairro Santa Catarina, periferia da cidade, averiguar uma denúncia anônima, de venda de drogas na residência.

Quando os policiais chegaram, o padrasto Samuel Ferreira de Melo, de 32 anos, correu até a cozinha, pegou uma faca, e rendeu a enteada, pegando-a pelos braços e colocando a faca em seu pescoço. Na residência estavam também à mãe da vítima, uma amiga e um amigo de Samuel, Erick Monteiro da Cruz, de 24 anos, que também ameaçou matar a adolescente.

Publicidade
Publicidade

A mãe da vítima e sua amiga conseguiram sair do local, somente a adolescente ficou refém com os criminosos. Samuel e Erick em determinado momento, levaram a garota para o banheiro, deixaram a porta aberta, somente com a cabeça da adolescente à mostra. Dentre as exigências feitas pelos homens aos policiais, estavam dois coletes á prova de bala, e a presença da imprensa. As solicitações foram atendidas pela polícia.

Muitos curiosos ficaram próximos do local, as negociações com os dois elementos começaram por volta das 10h30min, horário em que renderam a menina.

O reforço foi chamado, e já estavam no local 8 investigadores, 4 guarnições da Polícia Militar e três delegados que também estavam presentes, sendo eles: Rayrton Carneiro, da 12ª Seccional; Nélio Magalhães, da Divisão de Homicídios (DH); e Temmer Khayat, superintendente da Polícia Civil.

Publicidade

Além das equipes especializadas, estavam também, os curiosos que foram mantidos a distância.

Após uma hora e meia de negociação, os dois homens resolveram se render e soltar a vítima, por volta das 12h30min. O Delegado Temmer Khayat, ficou satisfeito com o desfecho, pois os criminosos foram aprendidos e a vítima saiu ilesa.

Os homens foram levados por uma viatura policial, conduzidos a 12ª Seccional Urbana, no bairro Jaderlândia, onde foi descoberto que Samuel era foragido da Penitenciária de Salinópolis, onde cumpria pena por tráfico de drogas e entorpecentes. Ele também é suspeito de ter trocados tiros com um policial no mês de setembro. Onde ninguém ficou ferido, na troca de tiros ele estava acompanhado de um comparsa, que não se sabe ainda se era Erick.

Samuel e Erick estão presos e responderam por cárcere privado, ameaça de morte e resistência à prisão.

#Crime #Casos de polícia