Algo muito grave e chocante aconteceu na vida do empresário João Luiz Todd, de 46 anos. Ele que trabalha como desenvolvedor de jogos virtuais, aproveitava o dia de folga para levar a filha, de apenas três anos, para uma experiência que prometia ser apenas divertida. A garotinha foi de carro até um espaço infantil, localizado no 'Shopping Tijuca', no Rio de Janeiro. O empresário parou o carro em uma área chamada de vip do estacionamento. Ele chegou ao local por volta das seis da tarde. Quase três horas depois voltou. No entanto, ao entrar em seu veículo encontrou algo que jamais esperava. Estava lá uma camisinha ao lado da cadeirinha da criança. 

O desenvolvedor de jogos, em entrevista ao 'Jornal O Globo' publicada nesta segunda-feira, 07, revelou que já tinha reclamado da administração do estacionamento.

Publicidade
Publicidade

Dessa vez, no entanto, ele achou um líquido branco na cadeirinha infantil, objeto usado para a segurança de sua filha no carro. Além de reclamar no próprio local, ele foi até à uma delegacia. Uma queixa foi prestada na delegacia da Tijuca, que fica na região do shopping. 

"Estou com um misto de raiva, vergonha e nojo", disse o empresário, que em seguida chocou, ao revelar que antes de perceber o líquido, a garota chegou a sentar na cadeira e tocar no líquido que estava na cadeirinha. De acordo com ele, não deu para ver de cara que havia esperma por ali. Em seguida, ao perceber  o que estava acontecendo, ele fez um "barraco" no local, com razão, diga-se de passagem.

Ele ainda reclamou do comportamento dos funcionários do estabelecimento, que pareciam apenas interessados em que ele fosse embora.

Publicidade

Mesmo sendo uma área vip, no local da ação criminosa, não havia qualquer câmera. O shopping diz que as imagens só mostram a entrada e saída dos veículos. Isso aumenta a suspeita de quem tenha feito o ato seja um dos funcionários do estabelecimento, que já conhece a rotina do local. 

Segundo o empresário, esse trecho do shopping tem manobristas. Ele costuma ir com a família no local e nunca teve esse tipo de problema antes. Para ele, um tarado teria realizado o ato.  #Crime #Investigação Criminal