Um pastor foi preso logo após ser flagrado dirigindo bêbado na manhã de segunda-feira (7), no bairro Despraiado, próximo à Rodoviária de Cuiabá (MT). O #Pastor da Assembleia de Deus, que não teve a sua idade revelada, foi identificado como Marcelo da Silva Sousa. O veículo que o pastor conduzia, um Fiat Punto, estava com a documentação atrasada e foi apreendido por agentes de trânsito de Cuiabá, conhecidos como "amarelinhos".

Policiais militares receberam uma denúncia, via Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp), de que um suspeito estava dirigindo um veículo próximo à rodoviária completamente embriagado e fazendo zigue-zague.

Publicidade
Publicidade

Logo após receberem a denúncia os policiais foram até o local e abordaram o suspeito, que visivelmente apresentava sinais de embriaguez. O acusado foi submetido ao teste do bafômetro,que comprovou a embriaguez. Diante da situação foi pedido para que o suspeito apresentasse a documentação do veículo, que está com o licenciamento atrasado.

Como manda a lei, os agentes da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) foram acionados e o veículo foi apreendido. O condutor do veículo foi preso em flagrante e encaminhado para o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc), no bairro Planalto, e ficará a disposição da justiça.

Outro caso semelhante aconteceu no mês de setembro, no bairro Santa Mônica, zona leste de Uberlândia. De acordo com o portal de notícias 'Correio de Uberlândia', um pastor evangélico da igreja Assembleia de Deus, identificado como Jales Antônio de Oliveira, de 59 anos, morreu logo após ser atropelado por um suspeito que estava embriagado e sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Publicidade

Segundo testemunhas relataram à Polícia Militar, o pastor estava atravessando a rua e falava ao celular quando o suspeito, que conduzia um Fiat Uno, o atropelou. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas quando a equipe de salvamento chegou ao local informado, a vítima já estava sem vida.

O acusado foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia de Plantão da Polícia Civil (PC), onde prestou seu depoimento para o delegado Helder Carneiro, que classificou o #Crime como homicídio doloso, quando há intenção de matar. #Casos de polícia