Um caso chegou à nossa redação nessa quinta-feira, 17, com cara de que era mentira. Um pastor, que se dizia "curado" da homossexualidade (que como sabemos não é nenhuma doença), abandonou a esposa, após se apaixonar pelo cunhado. Resolvemos então averiguar se o que ainda era um boato tinha algum fundamento. Para nossa surpresa, a história é parcialmente verdadeira. A diferença entre o que está sendo divulgado agora e a realidade é que esse caso não é recente, mas sim aconteceu no ano de 2011, virando manchete do 'Vírgula', um dos sites parceiros do UOL.

A situação, de acordo com uma matéria daquela época, acabou sendo registrada na cidade de Cacoal, em Rondônia, Norte do país.

Publicidade
Publicidade

A troca inusitada também foi noticiada agora pelo site 'Bahia Extremo Sul'. O pastor foi identificado como Flávio Serapião Birschiner, de 36 anos. Ele dizia em suas pregações, que depois que conheceu Jesus, tinha certeza que agora tinha encontrado a mulher da sua vida. A moça, de vinte e três anos, acabou sendo identificada como Ana Paula. Antes de ter uma vida como um homem hétero, o pastor gostava da noitada e realizava apresentações em boates homossexuais.

Com o nome artístico de “Shirley Mac Lanche Feliz”, ele se travestia de mulher e era um verdadeiro sucesso, sendo conhecido no Norte do país. No entanto, entre uma pluma, um rebolado e um rapaz para ir à cama, o religioso se cansou daquela vida. Ele então conheceu uma jovem, que mesmo sabendo de seu passado como "devorador de homens", decidiu aceitá-lo.

Publicidade

Eles namoraram por um ano, até que decidiram se casar. Tudo ia muito bem, os anos de passaram e o rapaz decidiu virar um pastor. Ele era chamado até de milagreiro, devido à força que tinha na palavra. O casamento rendeu frutos, um casal de gêmeos. Mas aí, em um determinado dia, o ex-gay se apaixonou de novo e por um homem. O nome do felizardo é Pedro Rochinha Siqueira, de 38 anos, que era o cunhado do pastor. Eles decidiram sair do armário e assumir que o religioso não gostava de mulher e que eles queriam ficar juntos. #Religião