Em 2009 um helicóptero da Polícia Militar foi abatido por criminosos no Morro dos Macacos, Zona Norte do Rio de Janeiro. Agora os fatos se repetem, porém, na Zona Oeste da cidade, próximo à comunidade da Cidade de Deus, com uma queda da aeronave da PM que deixou quatro mortos.

Sete anos atrás, o PM Marcelo de Carvalho estava no ataque e sobreviveu. Após a queda da aeronave neste sábado (19) ele utilizou suas redes sociais para condecorar seus colegas de profissão que morreram na tragédia.

Rogério Felix Rainha, 39 anos; Rogério Melo Costa, 36; William de Freitas Short, 37; e Camilo Barbosa Carvalho, 39; são as vítimas desse final de semana.

Publicidade
Publicidade

Eles eram sargento, Major, capitão e subtenente, respectivamente da organização.

Na publicação que acompanha a imagem de policiais em um helicóptero, ele começa homenageando o colega e subtenente Camilo Barbosa Carvalho, afirmando que ele é um dos melhores profissionais com os quais ele trabalhou no GAM e na PM. Ele menciona que os atos do rapaz sempre estarão na memória e pede que Deus conforte o coração dos familiares.

Outra homenagem foi prestada em sua página para o capitão William de Freitas Schorcht, desta vez ele destaca a humildade do capitão que morreu, afirmando que ele tinha um bom coração e era um excelente profissional. Confere mais um pedido a Deus para iluminação do caminho dos que foram.

Marcelo é sobrevivente da queda da de um helicóptero que foi atingido por tiros em 2009 e que pegou fogo na parte traseira, obrigando o piloto a realizar um pouso forçado, que fez com a aeronave tombasse.

Publicidade

Após a saída de quatro tripulantes a aeronave pegou fogo por completo com dois PM dentro. Além dos dois mortos que estavam no interior do helicóptero, um terceiro não resistiu aos ferimentos provocados pelos tiros disparados contra si. Restando apenas 3 sobreviventes, Marcelo Vaz de Souza, Marcelo de Carvalho Mendes, Anderson Fernandes dos Santos. Os três mortos na época foram Marcos Stadler Macedo, Edney Canazaro de Oliveira e Izo Gomes Patrício. #Crime #Casos de polícia