Um fato meio inusitado aconteceu na noite de sexta-feira (18), na cidade de Sorriso, cerca de 380 km de Cuiabá (MT). Quatro meninos, sendo que o maior deles tem apenas 1,37 de altura, foram presos pela polícia após terem roubado vários objetos de valor de uma residência. De acordo com informações da vítima, uma mulher de 23 anos, que não teve seu nome revelado pelas autoridades, ela ficou ausente de sua residência por dois dias, e quando retornou para a sua casa, na noite de sexta-feira, percebeu que a janela de sua casa estava aberta.

Ao entrar em sua residência, ela percebeu que vários objetos de valor, como celulares, correntes de ouro, pulseiras e cerca de R$ 300 reais, estavam faltando.

Publicidade
Publicidade

De imediato, ela acionou a polícia, quando os policiais chegaram ao local informado, constataram as veracidades dos fatos. Os policiais fizeram uma ronda no bairro e horas depois os suspeitos foram apreendidos com os mesmos objetos relatados pela à vítima. No entanto, eles foram presos e encaminhados para a delegacia da Polícia Militar (PM).

Segundo o delegado, o Sargento César, titular da Polícia Militar da cidade de Sorriso, um dos acusados, que é um garoto de 12 anos, foi expulso de sua casa pela à própria mãe por não aguentar mais ver o seu filho praticando vários furtos no bairro em que mora. Ainda, segundo César, esse mesmo garoto é o mentor do roubo e o chefe da quadrinha, que batizou de “Quadrilha dos Bebês”. Os quatro garotos, sendo dois deles com 12 anos, outro com 7 anos e outro com 9 anos, prestaram seus depoimentos acompanhados por dois Conselheiros Tutelares.

Publicidade

Logo após, foram liberados para os seus familiares.

O ocorrido causou uma grande revolta na cidade. De acordo com o portal de mídia local “Mt Notícias”, o artigo sobre a "Quadrilha dos Bebês" bateu “recorde” de acessos no portal, chegando praticamente a 200 mil, tendo mais de 800 compartilhamentos nas redes sociais e gerando cerca de 1500 comentários de internautas.

Um dos internautas disse: “Chega o mango no lombo da criança antigamente apanhava dos pais quando fazia coisa errada, hoje não pode dar um tapa na cria que já o juiz da infância proteger o marginal”. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia