A repórter da Record de São Sebastião, cidade-satélite do Distrito Federal, Francy Rodrigues, estava realizando uma matéria televisiva sobre grilagem na zona rural de Brasília, no assentamento Zumbi dos Palmares, quando uma discussão teve início e a levou à exaustão.

Alguém que estava no local filmou o momento em que o bate-boca começou. Nele, a jornalista aparece falando para uma mulher que caso ela queira receber educação, ele deveria ser educada também, já que ela havia entrado na conversa sem ser chamada. Ela pede para a mulher a deixar conversar com as pessoas que estavam no local, mas a mulher continua falando e finaliza com o termo “puta que pariu”.

Publicidade
Publicidade

A repórter, ao ouvir aquilo, não se contém e vai atrás da mulher dizendo para ela respeitar sua mãe, mas nesse momento ela já está alterada. A mulher continua instigando Francy, que fica ainda mais nervosa e tem de ser contida pelas pessoas ao redor.

A equipe tenta acalmar a jornalista, avisando que ela não pode agredir alguém. A mulher continua gritando, dizendo que a repórter é uma abusada, que ela está na cidade dela e que a profissional, que teria estudado pouco, deveria ir embora. O pessoal da emissora ajuda Francy entrar no carro da equipe. Mas do lado de fora a mulher exaltada continuando proferindo palavras em alto tom, falando que a jornalista tem que defender os pobres, não o governo. Os xingamentos continuam, e as pessoas ao redor pedem calma à senhora e até a própria equipe de jornalismo tenta conversar com a mulher.

Publicidade

Versão da repórter

Em sua rede social, a jornalista Francy comparou a vida a uma roda gigante, na qual ora estamos em cima, ora embaixo, e que tudo tem duas versões. Ela afirma que o episódio a fez aprender mais sobre ela e sobre a profissão, e que se orgulha de sua carreira e der quem ela é - um ser humano que se altera, mas que é feliz.

Francy admitiu que perdeu o controle e conta que já aconteceu muito coisa que saiu da curva em sua profissão, como a queda de um balão, mas que algo como que aconteceu agora teria sido a primeira vez e a deixou triste, pois a mulher a ofendeu, ofendeu a mãe dela e ela não aguentou.

#Crime #Casos de polícia