O deputado federal Roberto Freire (PPS-SP) será o #novo ministro da Cultura. Ele deverá assumir a pasta, após Marcelo Calero pedir demissão do cargo.

#Roberto Freire é o presidente nacional do PPS e foi convidado para assumir o cargo pelo presidente Michel Temer (PMDB), nesta sexta-feira, dia 18 de novembro.

Em entrevista ao jornal O Globo, Freire disse que ainda não conversou com Temer, mas que aceitará o convite por sentir-se na responsabilidade de contribuir com o governo. Ele afirmou ainda que se sentiu “impactado” com o convite.

Segundo informou a Agência Brasil, Marcelo Calero pediu para deixar a pasta da Cultura devido a problemas pessoais.

Publicidade
Publicidade

O blog do jornalista Gerson Camarotti apurou que a saída de Calero teria acontecido porque o ex-ministro não teria concordado com um projeto, aprovado pelo Congresso, que trata práticas de rodeio e vaquejada como manifestação imaterial e cultural nacional.

O jornalista apurou que o presidente teria a intenção de sancionar a lei e Calero havia pedido veto a essa matéria. A posição contrária do ex-ministro teria deflagrado uma crise e ele optou por sair.

Ao deixar o ministério, Calero divulgou uma carta de demissão, em que fala sobre a sua atuação frente a pasta. “Saio do #Ministério da Cultura com a tranquilidade de quem fez tudo o que era possível fazer, frente aos desafios e limitações com os quais me defrontei”, disse na carta, que teve um trecho publicado pela Agência Brasil.

O ex-ministro disse ainda que, nos últimos seis meses, empregou o melhor de seus esforços, tendo sido apoiado por uma equipe de qualidade, que o ajudou a pensar a política cultural Durante os últimos seis meses, empreguei o melhor dos meus esforços, apoiado por uma equipe de extrema qualidade para pensar a política cultural brasileira.

Publicidade

Sobre o novo ministro

Atualmente, Roberto Freire é deputado federal por São Paulo, desde 2002, e presidente nacional do PPS. Foi senador entre 1995 e 2002.

Freire está no PPS desde 1992, mas já passou pelo PMDB e PCB. Em 1989, foi candidato à presidência da República.