Nesta terça-feira, 29, uma tragédia atingiu o Brasil. Um avião que ia da Bolívia para Colômbia e levava jogadores da Chapecoense caiu. Segundo as primeiras informações, a aeronave teve uma pane elétrica, 81 pessoas estariam a bordo. Inicialmente, fala-se em cinco sobreviventes, mas as informações ainda são bem desencontradas. Ainda nas primeiras horas do acidente, imagens que seriam supostamente dos cadáveres dos falecidos foram divulgadas nas redes sociais. Um absurdo em um momento muito triste. Esse tipo de divulgação, no Brasil, configura-se como crime de vilipêndio de cadáver. Lembramos que divulgar essas imagens pode até dar cadeia, além de ser uma falta de respeito com as vítimas e também com as famílias deles.

Publicidade
Publicidade

Além dos jogadores da Chapecoense, que disputava a final da Copa Sulamericana, estavam na aeronave outros 21 jornalistas. Entre eles vinte e um jornalistas. A Rede Globo chegou durante alguns minutos a divulgar os nomes dos profissionais da mídia que faleceram. Por conta da tragédia, o 'Bom Dia Brasil' foi bem maior que o de costume. A desolação dos colegas de trabalho era evidente. Uma investigação agora deve se iniciar para saber o que teria levado a queda do avião. Já se sabe que houve uma escala e que houve a troca das aeronaves. Não é a primeira vez que um acidente vitima jogadores. Na década de 1960, isso já tinha ocorrido com o Manchester.

É bem comum que jornalistas viajem juntos da tripulação de jogadores, especialmente antes de eventos tão importantes, como é a final da copa Sulamericana.

Publicidade

Esse era o principal evento esportivo já disputado pelo time do Sul do Brasil. O mesmo avião que sofreu um acidente nesta terça-feira levou na semana passada a seleção da Argentina. Nele, estava o jogador Lionel Messi. Alguns jogadores salvos estão passando por procedimentos cirúrgicos.

Um dos laterias publicou um vídeo nas redes sociais antes de decolar. Essa tragédia soma-se à morte do ator Domingos Montagner, que faleceu afogado no Rio São Francisco. Novas informações a qualquer momento. #Crime