O procurador Oscar Costa Filho, do Ministério Público Federal do Ceará, protocolou um pedido de anulação da redação do #ENEM 2016, devido ao tema ter vazado antes da prova.

O pedido enfatiza que o tema foi o mesmo vazado ano passado e divulgado pelo MEC (Ministério da Educação) como uma prova falsa. O procurador pede a anulação da redação e não das questões em si. Entretanto, a Polícia Federal deflagrou uma operação em que prendeu pessoas acusadas de venderem o gabarito da prova, pouco antes da mesma começar.

Outros pedidos podem ser protocolados pedindo a anulação da prova como um todo, entretanto, nada impede que, no caso do Tribunal de #Justiça deferir o pedido de anulação da redação, todo o segundo dia da prova ser anulado e remarcado, ao menos que, o MEC esteja disposto a reaplicar apenas a redação em uma nova data a ser definida.

Publicidade
Publicidade

Ainda haverá uma segunda edição do ENEM no primeiro fim de semana de dezembro, destinado aos 240 mil inscritos que foram prejudicados pelas ocupações de escolas em um movimento partidário contrário ao governo e a reforma do ensino médio.

O pedido não garante seu deferimento e aguarda decisão da Justiça. O tema da redação gerou grande polêmica devido ao fato de ter sido divulgado no dia 18 de outubro do ano passado, como uma prova falsa que circulava na internet. Muitas pessoas alegaram que o MEC reaproveitou a prova que vazou em 2015, para aplicar em 2016. Na tarde de ontem, o Inep emitiu um comunicado repudiando as mentiras inventadas sobre a credibilidade do exame e alegou que a mesma foi elaborada por professores do ensino público e que tudo não passou de uma coincidência.

Essa não é a primeira vez que o ENEM é alvo de críticas e pedidos de anulação.

Publicidade

Nos últimos anos, a prova já precisou ser remarcada, às vésperas da aplicação, devido supostas provas terem vazado na internet, bem como sob a acusação de que uma quadrilha estaria vendendo os gabaritos.

Através da nota do ENEM, o inscrito pode disputar bolsas de estudo parciais e integrais pelo PROUNI, bem como substituir o vestibular tradicional para conseguir uma vaga em universidades federais e algumas estaduais. Para quem deseja financiar o curso pelo FIES, é necessária nota mínima de 450 pontos e não pode zerar na redação. Para o PROUNI e SISU a nota de corte varia de uma universidade para a outra, bem como cada curso pode ter uma nota distinta que aumenta de acordo com a nota dos que são inscritos para concorrê-la. #Casos de polícia