Sábado, dia 26 de novembro, fazia um calor "de rachar" no Rio de Janeiro. Tudo seguia seu trajeto tranquilo na cidade carioca para um passageiro de ônibus, até que ele viu algo inacreditável. Um táxi, com vidros transparentes, passava com uma passageira realizando relações íntimas com o taxista. O vídeo foi divulgado nesta segunda-feira, 28, pelo jornal 'O DIA' e rapidamente repercutiu bastante em toda a internet. A gravação, segundo a publicação, foi realiza em uma das vias mais importantes da cidade, a Avenida Brasil, sentido Zona Oeste, mais precisamente na altura de Irajá.

De acordo com um dos entrevistados do jornal, utilizando a faixa seletiva, o taxista dirigia apenas com uma mão ao volante.

Publicidade
Publicidade

Com a outra ele segurava a cabeça de sua parceira, que fazia o agrado, visto na legislação do trânsito como ilegal. A situação também é considerada atentado ao pudor, já que dezenas de pessoas flagraram o casal fazendo o que não deixa. "Custei a acreditar no que vi", disse um dos passageiros que passou pela sessão curiosa de surrealidade. O jornal colocou efeitos de edição na placa do Táxi, impedindo assim que o dono deste seja identificado. Esse tipo de ação pode até levar à cadeia, mas é até mais comum do que muita gente imagina. "Tem muita gente que sente prazer vivendo perigosamente", disse um dos internautas.

Com a popularização dos celulares, cenas que antes eram vistas apenas com os "olhos nus", hoje são compartilhadas de formo abrupto na internet. No Facebook, tem gente que já chama o caso de "bandeira 3", comentando os preços que são cobrados por taxistas em diferentes horários.

Publicidade

Curiosamente, as imagens estão rolando na internet no mesmo dia que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, do PMDB, assinou um decreto que torna o serviço do UBER ilegal na cidade. O Rio de Janeiro passa a ser uma das primeiras cidades grandes do mundo a fazer isso.

Veja o vídeo divulgado pelo jornal 'O Dia' e não esqueça de comentar essa reportagem. O que você acho dessa cena do cotidiano carioca?

#Crime