No último domingo (30), um homem espancou o próprio filho usando uma barra de ferro, em Lagoa das Pedras, cerca de cinquenta quilômetros de Natal. O menino tem apenas 11 anos e foi brutalmente violentado pelo homem, que teria se desentendido com a mãe da criança. A motivação do #Crime seria o fim do relacionamento com a mulher; o pai do menino não aceitava e acabou descontando no garoto. A mãe da criança está extremamente assustada e consternada com a situação, ela disse em depoimento na delegacia que tem medo de morrer.

Depois das agressões e da denúncia, o homem fugiu e está sendo procurado pela polícia. Ele é dono de uma oficina mecânica e tem 36 anos; a família mora no distrito de Mandu, na zona rural do município.

Publicidade
Publicidade

A polícia militar foi acionada e um boletim de ocorrência realizado, logo depois a criança foi encaminhada junto com mãe para o Instituto Técnico de Perícia (Itep), em Natal, onde foi realizado exame de corpo de delito.

As vítimas foram escutadas pela polícia e, de acordo com a mãe do garoto, ela está bastante amedrontada, pois no mesmo dia que o homem agrediu o próprio filho também tentou machucá-la. Segundo a mesma, ele foi cedo procurá-la em casa, mas ela tinha saído com sua mãe já idosa. O homem foi atrás das duas e tentou passar com o carro por cima delas por duas vezes. Depois de tentar atropelar a mulher e a sogra, ele teria sumido por um tempo, mas voltou e continuou as agressões.

Para conseguir entrar em casa, ele teria dado chutes e socos na tentativa de arrombar a porta para bater na mulher.

Publicidade

O agressor não conseguiu invadir a residência, mas descobriu que o filho estava dormindo na casa do vizinho e decidiu ir até lá com uma barra de ferro para espancá-lo. Ele ainda teria colocado a criança no carro e a levado até a casa da avó, ameaçando matar o garoto, caso a idosa não dissesse onde estaria a mulher. Nesse momento a criança foi agredida mais uma vez, mas por sorte conseguiu escapar.

Após a denúncia ao conselho tutelar e à Delegacia de Polícia Civil de Santo Antônio, o homem está sendo procurado. A mulher, que é trabalhadora rural, diz que tem medo de voltar para a casa com a criança, ser novamente agredida e até morta. #Violência #Investigação Criminal