Após uma longa sessão de 14 horas, o agente penitenciário Renilson Garcia Araújo de 27 anos, foi condenado nesta quarta-feira (30), a 9 anos de exclusão, pelo assassinato do modelo Johnny moura melo, 22 anos. Porém ele continuará solto, responderá o processo em liberdade, até não caber mais recurso.

O agente penitenciário foi condenado por homicídio privilegiado (quando acontece sobre forte emoção, por provocação de forma injusta pela vítima), com agravante de ter surpreendido a vítima, de maneira covarde e sem chances de defesa.

O crime aconteceu no ano passado, no dia 27 de dezembro, após uma festa que aconteceu no buffet “La Maison”.

Publicidade
Publicidade

O motivo para o homicídio teria ocorrido dentro da festa, quando o modelo Johnny discutiu com Renilson dentro do estabelecimento, pois a vítima reagiu a um suposto assédio de Renildo a sua namorada. Durante a discussão, Johnny teria dado um murro em Renilson, e acabaram entrando luta corporal, que foi separada por seguranças do local.

Era por volta das 05h00min, em frente ao Buffet, a Avenida Engenheiro Luís Vieira, no Bairro Dunas, em Fortaleza, no Ceará. Logo após a confusão o modelo pegou a namorada e entrou no carro para ir embora. Johnny foi dá uma ré em seu veículo e abaixou um pouco o vidro do carro, quando foi surpreendido por Renilson que puxou sua cabeça para fora e atirou, fugindo em seguida.

A vítima chegou a ser socorrida e levada às pressas ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Publicidade

Renilson foi preso em flagrante 2 dias depois #Crime, em sua casa, que fica localizada no bairro Antônio Bezerra e não ofereceu resistência a prisão. Por conta da profissão como agente penitenciário ele tinha direito a posse de arma. Ele entregou aos policiais sua arma , uma pistola 380.

De acordo com a delegada Socorro Portela, Renilson assumiu que entrou na festa armado, mesmo estando de folga. E que segundo ele, apenas olhou para a namorada da vítima.

Em 21 de janeiro deste ano, a juíza Adriana da Cruz Dantas, converteu a prisão do acusado em preventiva, e em fevereiro o juiz Antônio Carlos Pinheiro Klein Filho, recebeu a denúncia contra o réu. Porém em junho o advogado de defesa Delano Cruz, formulou um pedido para que Renilson respondesse em liberdade e o pedido foi aceito pelo Ministério Público do Estado do Ceará, que decidiu que o réu fosse julgado pelo Tribunal do Júri

A sentença dada esta quarta-feira, com a pena prevista de 9 anos, e aguardando em liberdade a conclusão do processo, será recorrida tanto pelo Ministério público quando pela defesa. Caso o tribunal acate o recurso da acusação um novo julgamento será realizado, e caso o pedido da defesa seja acatado a pena poderá ser reduzida. #Investigação Criminal