Um #Crime foi registrado na terça-feira (27), no bairro do Perpetuo Socorro, em Bragança. Uma mulher identificada como Marta, de 23 anos, é a principal suspeita de ter matado o seu filho logo após dar à luz ao mesmo. Segundo informações de vizinhos, desde do início do dia houve uma grande movimentação na casa da acusada, que mora junto com a sua tia idosa, identificada como Dona Lurdes.

Publicidade

Ainda de acordo com vizinhos, a acusada já é mãe de duas crianças e esse seria o seu terceiro filho, mas desde o começo de sua gravidez a mesma tentou esconder dos familiares..

Publicidade

Conforme relata testemunhas, a jovem teria ganhado a criança em sua casa com ajuda de outra mulher, em seguida teria enterrado a vítima no quintal de sua residência de cabeça para baixo. Uma vizinha identificada como Irene Bessa relata sobre a movimentação suspeita na residência de Marta, segundo ela, a mulher não havia aparecido na frente da sua casa no dia do crime, no entanto, os vizinhos desconfiaram que alguma coisa teria acontecido com a mesma.

Nisso, uma vizinha que mora ao lado da casa de Marta viu uma jovem cavando uma vala no quintal da casa da tia da criminosa, em seguida, relatou o que tinha visto para Irene Bessa.

De acordo com a vizinha, ela teria perguntado para a mulher porque ela estava cavando o buraco, em resposta ela disse que era para enterrar alguns panos com sangue, pois Marta tinha ganhado o bebê no hospital e a mesma apresentava hemorragia. Desconfiados, os vizinhos acionaram a polícia.

Publicidade

Já no local, a mulher disse para os policiais que a criança havia nascido no hospital, mas não resistiu e morreu. Segundo informações, os moradores viram quando a mulher retirou a vítima de dentro do buraco. “Se ela não tinha condição de criar o bebê porque ela não doou”, relatou Bessa.

Os moradores ficaram revoltados com a situação e por pouco a acusada junto com a sua comparsa não foram linchadas. O Corpo de Bombeiros junto com a Polícia Militar e Civil estiveram na cena do crime, em seguida a jovem foi encaminhada para uma umidade médica para receber atendimento médico e psicológico. No entanto, após a mesma receber alta hospitalar vai ser presa e encaminhada para a delegacia da cidade.

Já em relação a outra mulher, a polícia não soube informar se ela vai ser presa ou apenas vai prestar o seu depoimento. O corpo da vítima foi recolhido e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Castanhal, onde passará por exames de micropsia, para poder identificar as causas da #Morte. A vítima era do sexo masculino. Um inquérito foi aberto e o caso está sendo investigado. #Casos de polícia