As suspeitas sobre sucessivos erros com a aviação colombiana fez com que dois canais de televisão - a Rede Globo de Televisão e a Fox Sports - decidissem bancar com dinheiro do próprio bolso o translado dos corpos de seus funcionários para o Brasil. Na terça-feira, 29, uma aeronave da Lamia caiu na região de Medellín, na Colômbia. Ela levava 77 pessoas. 71 morreram e seis são os sobreviventes. O avião foi fretado pela prefeitura de Chapecó, em Santa Catarina. O município estava em festa pelo fato de seu time, a #Chapecoense, chegar à final da Copa Sulamericana, até agora maior competição que o clube catarinense, que tem pouco mais de quarenta anos de existência.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações do site da Revista Veja, a Fox e a Globo, que tiveram funcionários mortos na tragédia, vão fazer o translado particular de suas vítimas. A previsão é que o voo com os caixões deixe a cidade de Medellín às 16h, horário de Brasilia, desta sexta-feira, 02. Houve uma demora maior do que o esperado na preparação dos cadáveres, mesmo com cinco funcionárias contratadas. Dois motivos levaram a isso. Um deles é que seria necessário fazer uma preparação mais duradoura que o normal, já que se pretende fazer um velório aberto na arena Condó, em Santa Catarina.

O segundo motivo é a grande quantidade de mortos. Mesmo com todas as funerárias da cidade contratadas não foi suficiente fazer o serviço a tão curto prazo, existindo agora a previsão de atraso de quase vinte e quatro horas.

Publicidade

Com isso, o velório no estádio do Chapecoense, que pretende atrair cerca de 100 mil pessoas, deve ser realizado apenas no sábado, 03. De lá, os corpos serão encaminhados para as suas famílias. Inicialmente, a Chapecoense esperava velar pelo menos 60 corpos, mas agora esse número teria caído para 50, já que muitos familiares preferiram não ter essa exposição em um momento de dor.

Após tanta dor, começará outra fase difícil, a de discussão de indenizações. A lei Pelé estabelece que as famílias recebam pelo menos doze salários médios dos jogadores mortos, mas já se fala que essa quantidade deva chegar a 26. Isso não ameniza a indenização da empresa colombiana e de outros possíveis culpados. #Crime