Um vídeo compartilhado no último dia 8, na página noticiosa do Facebook ‘Guaianases Acontece’, mostra o momento em que um homem se aproxima de uma criança e chega a tentar levá-la pelo braço. A mulher que está com a menina, supostamente a mãe da dela, percebe o perigo e rapidamente intervém, puxando a garota pela mão para junto de si.

As imagens registradas por câmeras de segurança, instaladas em o que parece ser uma estação de transporte público, mostram a moça discutindo com o rapaz de camiseta preta, que continua andando calmamente seguindo as duas.

Guaianases é um distrito de São Paulo, que fica na região Leste da capital do Estado.

Publicidade
Publicidade

Há dois ângulos de registro de imagens. No primeiro, o foco das cenas mostra mais de perto que a menina está a menos de um metro e meio distante da mãe quando ambas sobem uma rampa. É nesse momento que o rapaz se aproxima e tenta dar o bote.

Em outro ângulo das filmagens é possível ver momentos um pouco anteriores à abordagem. Mãe e filha entram no local e começam a subir uma pequena rampa. O suspeito está logo atrás e sai correndo em direção à menina, que está a cerca de um metro e meio atrás da mulher.

A criança não aparenta ter mais do que 7 anos de idade. Não há nas postagens nenhuma referencia sobre quem seria o homem que tenta pegar a menina e nem o que aconteceu com ele depois que os vídeos foram divulgados.

Uma das hipóteses é que ele estivesse realmente tentando raptar a criança.

Publicidade

Mas há também a possibilidade de ele ser o pai da criança e querer ter contato com a filha, que talvez seja alvo de alienação parental (quando um casal se separa e um dos genitores tenta destruir o vínculo do filho ou filha com o outro genitor).

De qualquer forma, fica o alerta para que pais e responsáveis fiquem sempre vigilantes quando o assunto é segurança dos menores nas ruas. Matéria publicada em setembro deste ano, no Jornal O Estado de São Paulo, mostra que o Brasil registra um caso de sequestro internacional de criança a cada três dias. Parte deles é cometido pelos próprios pais ou mães dos menores, que já não vivem mais juntos e não aceitam viver longe de seus filhos.

#Crime #Casos de polícia