Nesta segunda-feira, 26, faltando três dias para completar um mês da tragédia, as autoridades da Colômbia decidiram dar a sua versão oficial sobre o que motivou a queda do avião que levava o time da #Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana. 71 pessoas faleceram no incidente, que aconteceu a apenas trinta e oito quilômetros da cidade de Medellín. Apenas seis pessoas sobreviveram, quatro delas brasileiros. Um deles, o goleiro Follmann segue internado em um hospital de Chapecó, no estado de Santa Catarina.

Uma das maiores surpresas da investigação foi a causa para a queda. A primeira delas é que o avião, apesar de não estar lotado, estava com peso superior ao que indicaria os manuais. Isso faz com que a aeronave gaste mais gasolina, do que é disposto neste tipo de avião. A revelação foi feita pelo secretário de segurança da aeronáutica do país onde a tragédia aconteceu, Freddy Augusto Bonilla. Ele disse que Miguel Quiroga, piloto que estava conduzindo a aeronave, sabia claramente que a gasolina colocada para a viagem entre a Bolívia e a Colômbia não eram suficientes, pois essa era uma limitação expressa no manual do tipo daquele avião, que curiosamente é o mesmo das demais aeronaves da LaMia, empresa que Miguel também era sócio. "Podia ser pior", disse a autoridade na coletiva de imprensa sobre o caso.

Além de Miguel Quiroga, quem também foi responsabilizado pelo incidente foi a AASANA, que é quem administra os aeroportos da Bolívia. Isso porque foi a AASANA quem permitiu que Miguel Quiroga viajasse com um plano de voo irregular. Na carta entregue à administradora dos aeroportos, estava expresso que a quantidade de combustível não era suficiente. Para isso, os investidores utilizaram áudios gravados do piloto com a torre do aeroporto de Medellín. O avião acabou caindo em uma região montanhosa conhecida como 'El Gordo'.

A LaMia disse que dará uma indenização que é equivalente a menos de 500 mil reais para cada família de vítima morta. No entanto, outras entidades podem ser processadas pelo erro que matou mais de 70 pessoas e essas indenizações aumentarem.