As imagens da tentativa de assalto foram gravadas pelo circuito interno, das câmeras de segurança do próprio estabelecimento. Nas imagens mostram a ação detalha dos marginais, que entraram na loja e deram voz de assalto, mas não esperavam que o comerciante reagisse ao assalto, e contasse também com a ajuda de seu funcionário. Felizmente as vítimas não se feriram, embora não se devessem reagir ao assalto.

As imagens mostram o momento em que o bandido entra na loja, com o capacete e uma garrafa de água, o proprietário está atrás do balcão e o funcionário estava sentado numa cadeira dentro do estabelecimento. O ladrão chega como se fosse um cliente, logo em seguida aparece seu comparsa na porta.

Publicidade
Publicidade

O dono do estabelecimento e o funcionário atendem o suspeito, que surpreende os dois ao sacar a arma e declarar o assalto. Inicialmente o comerciante levanta a mão e se aproxima do bandido armado, e o agarra.

O funcionário vai para ajudar o patrão e os três ficam embaraçados até saírem da loja, com a confusão e insucesso do assalto o comparsa sai correndo e deixa o outro ladrão sozinho. Que chega a cair no chão junto com o funcionário e o proprietário da loja, os três saem atracados no chão da loja até a parte externa do estabelecimento.

As imagens da câmera só mostram até o momento em todos saem da loja, mas felizmente as vítimas não foram feridas e os criminosos não conseguiram levar nada.

Em entrevista a uma emissora de Tv o proprietário do estabelecimento, Luciano Gonçalves, disse que reagiu ao assalto para “precaver” a vida dele e de seu funcionário, já que o bandido tirou a arma e apontou para a cabeça dele.

Publicidade

A loja de celular de Luciano já foi assaltada 5 vezes nós últimos 5 meses, mas desta vez o ladrão que entrou em luta corporal com o comerciante, Gustavo Silva de Farias, foi preso pela polícia logo após a tentativa de assalto. Gustavo já tinha outras passagens pela policia, e continua preso a disposição da justiça. A arma apreendida com ele estava carregada com três balas.

Reação em assaltos

Segundo o cientista social e policial civil Raimundo Pontes Filhos, em 90% dos casos em que as pessoas reagem ao assalto, saem feridas, com lesões graves ou fatais. “Por isso o ideal é não reagir”. Ele conta que as pessoas às vezes tentam fazer justiça com as próprias mãos e acabam muitas vezes morrendo por conta disso. Ele informa que muitos desses bandidos agem sobre efeito de algum tipo de droga, seja alcoólica ou entorpecente, além de estarem num nível muito grande stress.

De acordo com Raimundo o ideal é não reagir e fazer com que o assalto dure o menor tempo possível. Isso diminui o risco de crimes envolvendo violência e morte. #Crime #Casos de polícia